A Universal Music Group enviou uma carta para plataformas de streaming como Spotify e Apple Music, solicitando que bloqueie o treinamento de plataformas de inteligência artificial com melodias e letras que utilizam suas músicas protegidas por direitos autorais.

Conforme relatou o Financial Times, a UMG está preocupada com músicas geradas por IA que aparecem nos streamings. De acordo com uma fonte familiarizada com o assunto, o grupo está pedindo que as plataformas removam essas músicas. Além disso, a Universal pede que as plataformas bloqueiem o acesso das ferramentas de IA ao catálogo de seus artistas para impedir que desenvolvedores usem as músicas para treinar IAs.

publicidade

Leia mais:

Esta próxima geração de tecnologia apresenta problemas significativos. Muito da [IA generativa] é treinada em música popular. Você poderia dizer: compor uma música que tenha a letra para ser como Taylor Swift, mas os vocais para ser no estilo de Bruno Mars, mas eu quero que o tema seja mais Harry Styles. A saída que você obtém se deve ao fato de a IA ter sido treinada na propriedade intelectual desses artistas.

Fonte familiarizada em depoimento ao Financial Times

A Universal Music Group confirmou as informações:

publicidade

Temos uma responsabilidade moral e comercial com nossos artistas de trabalhar para impedir o uso não autorizado de suas músicas e impedir as plataformas de ingerir conteúdo que viole os direitos de artistas e outros criadores. Esperamos que nossos parceiros de plataforma desejem impedir que seus serviços sejam usados ​​de maneira que prejudique os artistas.

Porta-voz do Universal Music Group

Por que preocupa a indústria musical

Recentemente, viralizou na internet uma música criada com inteligência artificial que reproduziu as vozes dos cantores Drake e The Weeknd. A canção foi criada pelo usuário @ghostwriting.

No TikTok, um vídeo com um trecho da música alcançou mais de 8,5 milhões de visualizações e a versão completa no Spotify foi reproduzida 254 mil vezes.

publicidade

A UMG compara o uso de IA com “profundas falsificações e fraudes”, e considera que essas composições “negam os artistas de sua devida compensação.”

Atualmente uma das principais tecnologias de criação de música com IA em desenvolvimento é o MusicLM do Google, capaz de gerar uma música a partir de qualquer descrição. Conforme relata o Financial Times, a empresa treinou a ferramenta com dados que incluem 280.000 horas de música.

publicidade

Porém, essa IA ainda não foi lançada após os pesquisadores do Google descobrirem que cerca de 1% da música gerada pela ferramente era réplica direta de trabalhos protegidos por direitos autorais.

Com informações de CNN e Variety.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!