Por Daniel Markuson, especialista em cibersegurança e privacidade

Com a variedade de dispositivos digitais disponíveis na casa de boa parte dos brasileiros, é comum que as crianças tenham acesso à web com ou sem a supervisão de adultos. Contudo, a internet oferece diversos riscos a elas, como o possível contato com pessoas mal-intencionadas, bullying em ambiente virtual, sites perigosos e criminosos em busca de vítimas fáceis para aplicar golpes.

Leia mais:

Os pequenos não sabem como funcionam os meios digitais e precisam de orientação e controle para navegar no universo online com segurança. Nesse sentido, listo aqui seis dicas para os pais.

publicidade

1 – Seja um exemplo

Ensinar dando o exemplo é frequentemente a melhor forma de mostrar aos filhos como privilegiar a segurança na internet. Um grande e longo discurso sobre o assunto vai provavelmente surtir menos efeitos; então, deixe que as suas ações falem mais alto que as palavras.

  • Evite compartilhar excessivamente postagens nas redes sociais.
  • Caso faça isso, deixe claro para as crianças que não devem fazer.
  • Outra questão fundamental é demonstrar aos filhos a importância de deixar o celular de lado em alguns momentos, como na hora de se reunir com a família e os amigos, para evitar que passem muito tempo conectados.

2 – Mantenha-se informado

Normalmente, os filhos admiram os pais. Então, mantenha-se atualizado sobre as mais recentes ameaças da internet. Os mais jovens são normalmente vítimas fáceis de golpes em fóruns de jogos ou ao clicarem em links dentro de mensagens, o que pode resultar em casos graves de roubo de identidade ou de vírus nos dispositivos. Phishing, ataques em games on-line e stalking são outros exemplos que mais afetam essa faixa etária quando se trata de crimes cibernéticos.

3 – Atente-se às redes sociais

No meio de crianças de apenas 5 anos que já possuem smartphones à sua disposição, as redes sociais por vezes substituem as interações físicas, tornando a internet o novo recreio. No entanto, isso traz novas preocupações referentes à segurança na internet. É comum que aconteçam situações de bullying, por exemplo, e a maioria dos jovens não conta aos pais quando passam por isso.

Outro ponto que merece atenção é a possibilidade de alterar as configurações de privacidade das contas. Na maioria das redes sociais ou apps de mensagens, esse recurso permite decidir quem pode ver o perfil, enviar mensagens, comentar nas publicações, reportar conteúdos ofensivos e fotos inapropriadas, além de solicitar a remoção. Em casos mais graves, é possível requerer que uma conta maliciosa seja excluída. Também é possível remover uma amizade ou bloquear completamente algumas pessoas.

4 – Explique por que a privacidade é importante

Com o desenvolvimento das tecnologias de informação e a crescente democratização do acesso à internet, é natural que os casos de violações de dados também aumentem. A privacidade online é agora mais importante do que nunca. Quando detalhes tão triviais como o nome de uma rua ou o contato de um familiar são difundidos, os criminosos podem descobrir determinada identidade, usá-la para cometer fraude ou ainda perseguir a pessoa na vida real. Como pai, é fundamental que discuta o quão perigoso pode ser partilhar as informações pessoais na internet. Para começar, esclareça o que são informações pessoais. Depois, explique como esses dados podem ser usados contra eles.

5 – O perigo do wi-fi público também precisa ser discutido

De cafés a universidades, centros comerciais e estações de comboio, o wi-fi público está em quase todo o lugar. O problema é que essas redes não são seguras e as informações ou os dispositivos podem ser interceptados rapidamente. Explique sobre o assunto aos seus filhos, mas eles provavelmente vão pensar que isso nunca acontecerá com eles. Felizmente, o perigo pode ser evitado instantaneamente por meio do uso de VPN. Esse recurso protege o tráfego na internet, ocultando as informações dos hackers. A funcionalidade de proteção contra ameaças incluída no serviço impede as crianças de acessarem sites maliciosos e capazes de infectar o celular ou o computador com malware.

6 – O uso de senhas fortes: mostre a importância

Para a criação de qualquer conta online, é necessário explicar o conceito de senha segura, que deve ser complexa e única para que os “bisbilhoteiros” não consigam invadir. É recomendado, por exemplo, usar pelo menos oito caracteres, incluindo letras minúsculas e maiúsculas, números e símbolos especiais. Muitos especialistas alertam também sobre o uso de informações pessoais, como nome e data de nascimento, que deve ser evitado. Ainda é importante memorizar o acesso ou utilizar um bom gestor de senhas, entre outras orientações.

Daniel Markuson é especialista em privacidade digital da NordVPN

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!