Completamente intocável até 2009, a caverna Hang Son Doong, localizada no Phong Nha-Ke Bang, na costa do Vietnã, é de longe a maior caverna do mundo, possuindo tetos altos que estão localizados a cerca de 200 metros do chão.

Até então, a detentora do posto era a Deer Cave, na Malásia, mas ela é 5 vezes menor que a Hang Son Doong, grande não somente em altura como em também em comprimento, fazendo parte de um complexo que se estende por quilômetros.

A primeira vez que a entrada da caverna foi descoberta em meio a vegetação foi em 1991, por um morador local, mas de lá até 2009, ela ficou completamente perdida até ser encontrada por uma equipe da British Cave Research Association, que conseguiu documentar toda sua grandiosidade.

As passagens de Hang Son Doong se estendem por cerca de 9 quilômetros e alguns pontos atingem até 150 metros de largura. Dentro dela corre um rio de rápida correnteza que provavelmente a formou há cerca de 2 a 5 milhões de anos atrás. A caverna também possui estalagmites com tamanho impressionante, a maior do mundo está localizada lá e possui incríveis 70 metros de comprimento.

publicidade
As estalagmites em Hang Son Doong atingem tamanhos impressionantes (Credito: David A Knight / Shutterstock)

Leia mais:

O complexo ainda conta com duas claraboias que provavelmente se formaram após o teto sucumbir com peso acima. O menor dos buracos é chamado de  “Cuidado com os Dinossauros” e provavelmente se formou a 500 mil anos atrás, o outro é o “O Jardim de Edam”, com 163 metros de diâmetros, e sob ele existe uma densa floresta, com árvores que chegam até 30 metros de altura.

Hang Son Doong abriga espécies de pássaros, insetos e macacos, muitos deles ameaçados de extinção, o que faz com que os pesquisadores a enxerguem como uma esperança para esses animais. Muitas outras espécies ainda podem ser descobertas na caverna, algumas inéditas, como um novo peixe e um piolho encontrados no local.

A caverna foi mapeada em 2010 pelo National Geograph que disponibilizou um tour virtual completo. No entanto, acredita-se que apenas 30% foi explorada até hoje. Em 2019, um grupo de mergulhadores que estudavam as passagens subaquáticas do complexo encontrou um túnel a cerca de 120 metros de profundidade que se conecta com outra caverna, que pode ser muito maior.

Até hoje a caverna recebeu muitos poucos turistas, menos até mesmo que os que se aventuraram a escalar o Monte Everest, isso porque o número de visitantes é limitado a 1000 pessoas por temporada e custa em torno de 3 mil dólares.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!