A União Europeia (UE) está pressionando plataformas digitais, como o Google, Meta e TikTok, a lutar contra a desinformação online causada por Inteligência Artificial (IA). Segundo a vice-presidente da Comissão Europeia, Vera Jourova, isso será feito através de rótulos sinalizando que textos, fotos e outros conteúdos foram gerados artificialmente.

Leia mais:

Problema da IA

Segundo Jourova, as novas tecnologias de IA e a sua capacidade de criar conteúdos complexos impõem “novos desafios para a luta contra a desinformação”.

Assim, ela pediu que empresas de tecnologia, como o Google, a Microsoft, a Meta e o TikTok, que assinaram o acordo da União Europeia para combater as informações falsas, resolvam o problema causado pela IA.

publicidade
Logomarca da OpenAI com bandeira da União Europeia ao fundo
ChatGPT virou alvo de investigações no Reino Unido no mês passado por problemas com segurança (Imagem: Pedro Spadoni/Olhar Digital)

Como resolver o problema?

  • Muitas das plataformas online contam com IA generativa, como chatbots ou em mecanismos de buscas.
  • Essas plataformas e empresas devem impedir o dano causado por suas inovações, chamado por Jourova de “atores maliciosos”.
  • Esses danos podem incluir informações falsas espalhadas por chatbots, como o ChatGPT, ou deepfakes (conteúdos de vídeo ou voz gerados artificialmente que imitam uma pessoa real) compartilhadas via redes sociais como se fossem reais.
  • O primeiro passo para a resolução é reconhecer que as inovações da IA podem, sim, ser danosas e tem um potencial de espalhar desinformação.
  • Então, as plataformas têm de “rotulá-los (os conteúdos gerados por IA) claramente para os usuários”. A medida ajuda os internautas a distinguir o que é verdade do que foi gerado artificialmente.
Pessoa segurando celular com imagem aberta escrito Fake News
Plataformas digitais terão que sinalizar o que é gerado artificialmente para alertar usuários (Imagem: Pedro França/Agência Senado)

Liberdade de expressão na UE

Para Jourova, que se pronunciou durante uma coletiva em Bruxelas, os regulamentos impostos pela União Europeia visam proteger a liberdade de expressão dos indivíduos. Porém, quando se trata de IA, ela não vê “nenhum direito para as máquinas terem liberdade de expressão”.

Desinformação

  • O potencial da IA de promover também desinformação preocupa especialistas no setor.
  • Sam Altman, CEO da OpenAI e considerado o “pai do ChatGPT”, já se pronunciou pedindo a regulamentação do uso da IA.
  • Além disso, o executivo revelou que teme o impacto da tecnologia nas eleições presidenciais de 2024, justamente por conta do alto potencial de criação de notícias e conteúdos falsos.
  • O G7 já se reuniu para debater regras acerca do uso da IA, e reconheceu a necessidade de regulamentação. O Olhar Digital já falou sobre isso aqui.

Com informações de Associated Press

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!