Um antigo executivo da Samsung foi detido e indiciado na Coreia do Sul por roubo de informações secretas para a construção de uma cópia de fábrica de semicondutores da empresa na China.

O que você precisa saber

  • O ex-executivo da Samsung tem 65 anos e não teve o nome divulgado;
  • Ele foi indiciado por violar proteções de tecnologias industriais e também de quebra de leis de prevenção de competição, de acordo com autoridades coreanas;
  • Segundo a acusação, o rapaz roubou dados confidencias para a construção de uma fábrica idêntica às de semicondutores da Samsung na China;
  • Entre as informações obtidas ilegalmente estão os dados de engenharia básica para a fábrica de chips, além de documentos de design;
  • O antigo funcionário da Samsung chegou a formar uma nova empresa para a fábrica de chips e até contratou gente para trabalhar nela;
  • O roubo aconteceu entre agosto de 2018 e 2019, dizem as autoridades coreanas.

Leia mais:

Seis outras pessoas também foram indiciadas no mesmo caso — um funcionário terceirizado da Samsung e cinco trabalhadores da empresa formada após o suposto roubo de informações. Elas não chegaram a ser detidas, mas são acusadas de conluio no roubo de tecnologia.

A acusação afirma que o homem planejava construir uma fábrica a 1,5 km de distância de uma da Samsung localizada na cidade de Xian, na China. O projeto contava com investimento de cerca de US$ 6,2 bilhões de uma empresa de Taiwan. Quando o aporte foi cancelado, o projeto foi abandonado, segundo os promotores coreanos.

publicidade

Após a desistência dos investidores de Taiwan, o ex-funcionário da Samsung chegou a receber um aporte de cerca de US$ 350 milhões para construir uma fábrica em Chengdu, também na China. Ele chegou a contratar 200 pessoas para trabalhar na fábrica e instruiu funcionários a obterem informações do design de semicondutores da Samsung, além de outras informações confidenciais da fabricante coreana.

Os promotores coreanos afirmam que o caso gerou um prejuízo de ao menos US$ 230 milhões para a Samsung.

Via Yonhap News Agency

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!