Um ciclone extratropical atingiu o Rio Grande do Sul nesta sexta-feira (16) causando um rastro de destruição. Uma pessoa morreu e quatro estão desaparecidas após o fenômeno registrado em diversos municípios do estado do Sul do Brasil.

As cidades afetadas foram a capital Porto Alegre e também Lindolfo Collor, Ivoti, Santo Antônio da Patrulha, Novo Hamburgo, Caraá, Três Forquilhas, Três Cachoeiras, Morrinhos do Sul, Capão do Canoa, Torres, São Leopoldo, Tramandaí, Maquiné, Caxias do Sul e Sapiranga. Em todos esses municípios há registros de alagamentos.

Leia mais:

O ciclone também causou grande destruição, fazendo com que estradas fossem bloqueadas e voos cancelados. Além disso, ao menos 400 mil pessoas estão sem energia elétrica no estado entre clientes das fornecedoras CEEE (Companhia Estadual de Geração de Energia Elétrica) e RGE (Rio Grande Energia).

publicidade

Ciclone deixou mortos e desaparecidos

De acordo com o governador Eduardo Leite, uma pessoa morreu na cidade de São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre. A pessoa tinha 23 anos e sofreu uma descarga elétrica.

Se cuidem, cuidem das suas famílias. Isso tudo há de passar. E a gente quer que passe sem outras perdas de vidas humanas. Infelizmente, temos uma morte já confirmada, mas agora é o momento de a gente proteger as vidas. Dos danos materiais, das perdas materiais, a gente se encarrega depois.

Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul

Ao menos quatro outras pessoas estão desaparecidas: uma em São Leopoldo e três na cidade de Caraá. O desaparecimento em São Leopoldo foi de um homem que foi levado pela correnteza de um riacho após uma ponte ser levada pela água das chuvas. O rapaz estava acompanhado do irmão, que já foi resgatado.

Destruição prejudica hospitais e cancela aulas

Prefeituras de 21 cidades das regiões atingidas pelo ciclone cancelaram as aulas desta sexta-feira. Além disso, o Hospital Santa Luzia, em Capão da Canoa, ficou completamente alagado e precisou restringir os atendimentos. A instituição orienta pacientes a buscarem outras unidades de saúde.

Autoridades fazem alertas à população

Prefeitos das cidades atingidas estão pedindo para moradores fiquem onde estão. “A Quem tiver possibilidade, fazemos um apelo para que evitem deslocamentos,” disse o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), em uma postagem em redes sociais.

Na cidade de Maquiné, o prefeito João Marcos Bassani dos Santos fez o contrário e solicitou à população que deixassem suas residências e buscassem locais seguros. A cidade recebeu um alerta de “Grande Perigo” para chuvas e ventos intensos durante a noite de quinta-feira (15).

Entenda o que é um ciclone extratropical

Segundo a MetSul, um ciclone extratropical é um fenômeno meteorológico caracterizado pela formação de tempestades e fortes rajadas de vento. São definidos como sistemas de baixa pressão atmosférica de escala sinótica que ocorrem nas regiões de latitudes médias.

Esse tipo de ciclone não costuma ser formado em regiões tropicais, por isso a nomenclatura. Segundo o site, “os sistemas extratropicais são normais no litoral da Argentina e na foz do Rio de Prata, algumas vezes se originando na costa do Rio Grande do Sul. Trata-se, assim, de uma posição mais ao Norte que o habitual”.

Via Folha e G1

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!