A fabricante de aeronaves elétricas Eve Air Mobility, controlada pela Embraer, anunciou que está expandindo sua parceria com a Blade Urban Air Mobility para integrar seu próximo “carro voador” (aeronave vertical elétrica) à rede de rotas europeias da Blade.

Resumo

  • Durante o Paris Airshow, a Eve disse que espera iniciar as operações comerciais dos veículos em 2026;
  • A Blade, empresa de tecnologia voltada para mobilidade aérea urbana, sediada em Nova Iorque, focará no desenvolvimento de aplicações práticas dos veículos, como identificação de rotas em países europeus;
  • A implementação dos veículos elétricos de decolagem e pouso vertical (eVTOLs) começará por Paris.

Conforme relata a agência Reuters, as empresas fecharam um acordo no ano passado para implantar cerca de 200 aeronaves elétricas na Índia. Também existe a intenção de iniciar as operações nos Estados Unidos, onde a Eve deve fornecer até 60 veículos por ano.

Leia mais:

As empresas reforçaram suas visões de futuro sustentável e soluções inovadoras para transformar o transporte aéreo do continente.

publicidade

Ao combinar nossa experiência e recursos, estamos comprometidos em expandir a mobilidade aérea avançada com soluções inovadoras que tornam as viagens mais acessíveis para os passageiros e impulsionam melhorias ambientais significativas.

Andre Stein, co-CEO da Eve.
Embraer
Embraer: Divulgação

No mês passado, a Eve anunciou a conclusão com sucesso dos testes de seu carro voador em túneis de vento na Suíça. A subsidiária da Embraer disse que os testes foram essenciais para a certificação do projeto e futura produção do veículo. A empresa planeja realizar mais testes em 2024.

Em comunicado, a Eve lembra que a implantação das eVTOLs na Europa ainda depende das aprovações regulatórias e certificações necessárias.

Embraer fecha acordo com a Nidec para desenvolver motores elétricos

Durante o Paris AirShow, a Embraer anunciou um acordo com a empresa japonesa Nidec Corporation. Juntas, as companhias criarão a Nidec Aerospace, que desenvolverá motores elétricos (Sistemas de Propulsão Elétrica) para os carros voadores.

A nova empresa, fruto da parceria, terá uma participação de 51% da companhia japonesa, enquanto a Embraer terá 49%.

A demanda por sistemas de propulsão elétrica está crescendo exponencialmente no setor aeroespacial e estamos muito confiantes de que a Nidec e a Embraer juntas podem acelerar o desenvolvimento de produtos avançados para permitir o futuro da aviação sustentável.

Francisco Gomes Neto, Presidente e CEO da Embraer.

Com informações de Reuters e Poder 360.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!