Em algum momento da vida, estima-se que cerca de 80% das pessoas serão infectadas pelo papilomavírus humano (HPV). Algumas cepas de HPV, inclusive, podem alterar o DNA, o que aumenta o risco de câncer. Contudo, a doença pode ser prevenida com um esquema de vacinação de duas a três doses. E um estudo sugere que apenas uma dose já pode ser o suficiente para fornecer anos de prevenção contra o câncer.

Leia mais:

Vacinação do HPV

O desenvolvimento da vacina revolucionou o combate ao HPV, com uma alta eficácia contra o vírus e câncer subsequentes.

Originalmente, a recomendação é que as pessoas tomem de duas a três doses do imunizante.

publicidade

Mesmo assim, em 2021, apenas 13% das meninas do mundo foram vacinadas.

teste HPV
Estudo pode ajudar principalmente países com dificuldades logística em campanhas de vacinação (Imagem: shutterstock)

Nova descoberta

  • O novo estudo mostrou que a aplicação de uma única dose da vacina de HPV pode ser suficiente para ajudar na prevenção.
  • A pesquisa, feita em parceria com o Ministério da Saúde e Serviços Médicos de Fiji, analisou mais de 800 mulheres do país e descobriu que a proteção contra duas cepas do HPV que causam câncer permaneceram por até oitos anos após a vacinação. O imunizante foi 81% eficaz.
  • O estudo também constatou que, mesmo em pessoas que já tiveram HPV anteriormente, a dose única diminuiu o risco de desenvolver lesões pré-cancerosas.
  • Outras cinco pesquisas também mostraram que a uma única dose tinha proteção semelhante a duas ou três doses contra os tipos 16 e 18 do HPV, as cepas que causam câncer.

Importância

Essa descoberta é essencial principalmente em países subdesenvolvidos, em que os programas de vacinação enfrentam dificuldades de logística e infraestrutura, além dos altos cultos.

Tendo a confirmação de que uma dose é suficiente para proteger a população, países podem implementar o esquema de dose única, que barateia as campanhas e viabiliza sua manutenção para atingir mais pessoas.

Isso também permite que mais pessoas sejam vacinadas, já que há uma escassez global de vacinas do HPV até 2024, e simplifica o processo de distribuição.

Alguns países já adotaram a dose única do HPV (Foto: Reprodução)

Adoção da dose única

Em 2022, a Organização Mundial da Saúde (OMS) atualizou suas recomendações de vacina contra o HPV e, agora, sugere que os países apliquem de uma a duas doses em meninas com menos de 15 anos.

Já a Austrália e a Irlanda implementaram a estratégia de dose única, justamente pela evidência de ser altamente eficaz na prevenção do vírus e de doenças correlatas.

Com informações de Medical Xpress

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!