O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva destinou R$ 500 milhões para o programa do carro popular, que concede descontos para a aquisição de modelos selecionados. Segundo um balanço divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, 80% desse montante já foi usado pela indústria nacional e o programa pode acabar em breve. Uma possível extensão ainda não foi ventilada publicamente.

Leia mais:

publicidade

O programa começou há duas semanas. Dos R$ 500 milhões totais, R$ 400 milhões já foram usados nos descontos dos carros, que vão de R$ 2 mil a R$ 8 mil por modelo e versão.

O benefício varia de acordo o preço total (o valor não pode ultrapassar os R$ 120 mil), eficiência energética, o nível de nacionalização e o tipo de combustível utilizado. Você pode ver os detalhes exatos clicando aqui.

publicidade

O Olhar Digital já listou quais montadoras, modelos e versões de carro entraram no programa do carro popular neste link.

Renault Kwid (Imagem: Divulgação/Renault)

Quem usou a verba?

  • Das nove montadoras que participam do programa, a Fiat e a Jeep foram as que mais usufruíram, usando R$ 190 milhões.
  • A Volkswagen usou R$ 60 milhões.
  • Juntas, Peugeot e Citroën usaram R$ 50 milhões.
  • Hyundai e Renault receberam individualmente R$ 40 milhões para reverter em descontos.
  • Em último lugar, Ford e GM usaram R$ 20 milhões cada.
Fiat Mobi
Fiat Mobi (Imagem: Divulgação/Fiat)

Como ficam os descontos depois que a verba acabar?

Por enquanto, a venda com desconto está restrita a pessoas físicas. Na terça-feira (20), o governo federal prorrogou o programa para esse grupo por mais 15 dias. Só depois disso empresas terão acesso aos modelos com descontos.

publicidade

No entanto, depois que os R$ 50 milhões forem usados, o programa do carro popular deve acabar.

Com informações de Uol

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!