Mesmo com o programa de descontos do governo, os preços não ficaram tão atraentes como na época do famoso “carro popular”. A categoria estreou em 1993 e ficou marcada por modelos vendidos por menos de R$ 8 mil (7,5 vezes a menos que o carro zero menos caro hoje).

Décadas antes do programa de incentivo chegar, a Volkswagen já oferecia uma opção de veículo pronto para qualquer parada no Brasil. Estamos falando da Kombi, um dos automóveis mais icônicos da montadora.

Leia mais:

Como surgiu a Kombi

Quem nunca andou em uma provavelmente conhece alguém que já viajou em uma Kombi. O modelo nasceu logo depois da 2ª Guerra Mundial, em Wolfsburg, na Alemanha, como um veículo de carga equipado com a mesma mecânica do Fusca na traseira.

publicidade
  • O nome que acabou pegando no Brasil é uma abreviatura do alemão “Kombinationsfahrzeug”, que, em tradução livre, significa veículo multiuso.
  • A primeira Kombi começou a ser produzida em 1949 e foi lançada um ano depois na Alemanha com suspensão robusta e motor de 25 cavalos refrigerado a ar (assim como o do Fusca).
  • A Kombi chegou por aqui em 1953 e ainda era montada pela Brasmotor (antiga Brastemp). 
  • A primeira fábrica da Volkswagen só foi inaugurada em 1959 em São Bernardo do Campo, São Paulo.

Como era o modelo nos anos 1960

  • A versão com 6 portas, uma das mais cobiçadas pelos colecionadores, chegou na década de 1960 em duas versões: Standard e Luxo.
  • Na mesma época, o modelo ganhou mudanças como o marcador de combustível no painel.
  • Em 1963, foram adicionadas mais janelas laterais e um vidro traseiro maior.
  • Já em 1967, a Kombi recebeu um reforço na potência com motor 1500 de 44 cavalos.
  • As rodas ficaram menores (de 15” para 14”) e uma barra estabilizadora na suspensão dianteira foi adicionada pela VW para melhorar a dirigibilidade do furgão.
Imagem: Reprodução

Com o passar dos anos, o modelo foi usado por diversos setores, como aviação, polícia, Correios, imprensa, e mais. O primeiro veículo escolar oficial no Brasil entre 1960 e 1980 também foi a Kombi.

Quanto custava?

A versão mais básica da Kombi, a Standard, era vendida por Cr$ 498.000,00 em setembro de 1960. 

Quanto custaria a mesma Kombi hoje?

Hoje, o valor corrigido do mesmo modelo passa de R$ 100 mil. No mercado de usados, dependendo do ano e da condição, é possível garimpar uma Kombi na faixa de dos R$ 3 mil até mais de R$ 180 mil.

Após 56 anos de sucesso, o veículo se despediu do mercado nacional por não conseguir se adequar as mudanças na legislação de trânsito, que tornou obrigatória a presença de freios ABS e air bag duplo.

Imagem: Divulgação/Volkswagen

A última versão da Kombi foi a Last Edition, com 1200 unidades produzidas em azul e branco e com adição de detalhes especiais como cortinas nas janelas e pneus faixa branca. O modelo é um dos valiosos, saindo por quase R$ 180 mil na tabela FIPE.

Volkswagen: ID.Buzz chega ao Brasil para comemorar 70 anos da montadora no País

Em evento realizado na noite desta segunda-feira (3), a Volkswagen oficializou o lançamento da ID.Buzz – sua van elétrica inspirada na clássica Kombi – no Brasil, para comemorar seus 70 anos no País. Contudo, serão somente 70 unidades a serem vendidas.

Clique aqui e saiba mais!

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se