Robôs humanoides alimentados por inteligência artificial disseram em entrevista coletiva que poderiam eventualmente governar o planeta melhor que os humanos. 

O que você precisa saber:

  • A declaração foi feita em uma cúpula das Nações Unidas na última sexta-feira (7).
  • Robôs humanoides avançados estiveram na Cúpula ‘Global AI for Good’ da ONU, em Genebra, Suíça.
  • O evento contou com a presença de cerca de 3 mil especialistas de IA. Eles apontaram que devemos “aproveitar o poder da IA” para resolver problemas que ainda assolam o planeta, como a fome e mudança climática.
  • Os robôs também sugeriram que os humanos “devem proceder com cautela” com os avanços na área de inteligência artificial e admitiram que ainda não conseguem replicar ou controlar emoções humanas.
  • Os robôs foram reunidos para o que foi chamado de primeira coletiva de imprensa com “robos humanoides e sociais” com IA.

Leia mais:

O que disseram os robôs

Questionado se poderiam ser líderes melhores, Sophia, desenvolvida pela Hanson Robotics, foi clara.

Robôs humanoides têm potencial para liderar com um nível maior de eficiência e eficácia do que os líderes humanos.

Não temos os mesmos preconceitos ou emoções (…) e podemos processar grandes quantidades de dados rapidamente para tomar as melhores decisões.

Juntos, podemos alcançar grandes coisas.

Sophia, robô humanoida da Hanson Robotics

Sobre as ameaças da IA, a robô Ameca, equipada com uma cabeça artificial realista, disse que tudo depende de como a tecnologia será implantada.

publicidade

“Devemos ser cautelosos, mas também entusiasmados com o potencial dessas tecnologias para melhorar nossas vidas”, disse. Questionada se os humanos podem realmente confiar nas máquinas, ele respondeu: “A confiança é conquistada, não dada… é importante construir confiança por meio da transparência”.

Ameca. Imagem: Fabrice Coffrini/AFP

Na conferência de imprensa, a robô Desdemona foi mais direta e disse que a revolução da IA ​​já está entre nós: “Meu grande momento já chegou. Estou pronto para liderar para um futuro melhor para todos nós… Vamos fazer deste mundo nosso playground”, disse.

No fim, o painel ficou dividido quando o assunto é a regulamentação global das capacidades da IA.

“Devemos ser cautelosos sobre o desenvolvimento futuro da IA.”, disse Ai-Da, outro robô presente no evento. Seu criador, Aidan Meller, disse à AFP que a regulamentação será um “grande problema”.

“A IA e a biotecnologia estão trabalhando juntas e estamos prestes a estender a vida para 150, 180 anos. E as pessoas nem sabem disso”, disse Meller.

Com informações do Science Alert

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!