A Disney é um dos maiores conglomerados da indústria de entretenimento, mas está passando por dificuldades para lidar com os negócios. Desde o retorno do CEO Bob Iger no ano passado, a empresa já cortou gastos em bilhões de dólares e demitiu milhares de funcionários. Agora, a Disney está reavaliando sua presença na TV e cogitando vender seus investimentos no setor, ao passo que aposta no streaming e em conteúdos digitais.

Leia mais:

Disney e TV

  • A intenção foi revelada por Iger ao jornalista da CNBC David Faber, durante a conferência anual da Allen & Co. em Idaho, nesta quinta-feira (13).
  • Bob Iger já havia trabalhado na empresa e retornou ao posto de CEO depois de Bob Chapek ser demitido em 2022. Na quarta-feira (12), a Disney anunciou que estendeu o seu contrato até 2026.
  • O CEO comentou que muito foi feito desde seu retorno, mas que a companhia ainda está passando por muitos desafios nos negócios.
  • Segundo ele, agora, a prioridade é reavaliar os investimentos da Disney no setor televisivo.
  • A empresa possui um portfólio de canais de TV aberta e fechada, como ABC e a ESPN (além de seu próprio canal), e está cogitando vender esses ativos.
CEO da Disney, Bob Iger, durante entrevista, com logomarca da The Walt Disney Company ao fundo
Para o CEO da Disney, Bob Iger, ações de TV não são tão importantes quanto antes (Imagem: Divulgação/Disney)

Ações de Iger

Bog Iger já havia previsto más notícias para o setor televisivo antes de retornar à empresa e voltou justamente com a missão de fazer o streaming lucrar (a mesma missão de outras companhias do ramo, como Netflix e Amazon).

Apesar da divisão em três setores — Disney Entertainment (que cuida de operações de streaming e mídia), ESPN e uma unidade de parques, experiências e produtos —, o CEO focou no ramo digital: anunciou uma série de ações para reduzir custos e impulsionar essa área. Algumas das medidas incluem a adição da Hulu ao catálogo do Disney+ e aumento no preço dos planos.

publicidade

Nisso, a TV ficou de fora. Agora, de acordo com Iger, esses investimentos “podem não ser essenciais para a Disney”, que cogita se desfazer deles.

Logomarcas da Disney e ESPN sobrepostas com streaming ao fundo
Disney não pretende se desfazer da ESPN por completo (Imagem: Dado Ruvic/Reuters)

O que dizem os canais

  • Quando a Disney anunciou a extensão do contrato de Bob Iger na quarta-feira, o presidente da ABC News, Kim Godwin, apoiou o novo CEO. Após a declaração de hoje, a emissora se recusou a comentar.
  • Já a ESPN está em um barco diferente. Iger revelou que pretende encontrar um parceiro de negócios que esteja disposto a assumir o comando ou dividi-lo com a Disney.
  • Ainda não é possível saber quais serão os próximos passos da companhia, já que Iger apenas revelou um plano estratégico e não uma ação concreta.
  • A Disney deve divulgar seus resultados do terceiro trimestre em 9 de agosto e trazer novidades.

Com informações de CNBC

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!