A Microsoft e a Activision Blizzard concordaram em estender seu acordo de compra enquanto aguardam o resultado das negociações com o regulador do Reino Unido, a Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA). Agora, as empresas têm até 18 de outubro para finalizar a transação, que teve seu prazo inicial terminado na terça-feira (18). 

O que está acontecendo? 

  • A proposta de compra da Microsoft pela Activision já foi aprovada na União Europeia, China, Brasil e outros, mas bloqueado no Reino Unido em abril;   
  • Originalmente, as companhias tinham até 18 de julho para finalizar o acordo, após essa data, ambas estariam livres para desistir da fusão ou renegociar, como fizeram; 
  • A extensão do prazo concede mais tempo para o negócio superar obstáculos regulatórios e finalmente oficializar o acordo de US$ 69 bilhões; 
  • A flexibilização é resultado das novas negociações entre a Microsoft e a CMA, que prometeu reavaliar a proposta, dando mais uma chance (e mais tempo) para o negócio. 

Leia mais! 

A extensão do acordo ocorre após o Tribunal de Apelação da Concorrência (CAT) permitir uma negociação para interromper o processo de apelação de bloqueio. A decisão também chega após a CMA esticar o seu prazo para divulgar uma decisão sobre a fusão, indo de 18 de julho para 29 de agosto. Veja detalhes aqui

publicidade

Além disso, recentemente as empresas saíram vitoriosas da última apelação da Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC), que tentava, mais uma vez, bloquear o acordo. Após decisão de tribunal que deu sinal verde para a fusão, o órgão pediu uma suspensão de emergência, mas sem sucesso. 

A recente decisão nos EUA e as aprovações em 40 países confirmam que o acordo é bom para a competição, jogadores e o futuro dos jogos. Dadas as aprovações regulatórias globais e a confiança das empresas de que a CMA agora reconhece que existem remédios disponíveis para atender às suas preocupações no Reino Unido, os conselhos de administração da Activision Blizzard e da Microsoft autorizaram as empresas a não encerrarem o negócio até depois de 18 de outubro. 

Lulu Cheng Meservey, CCO da Activision Blizzard. 

O novo acordo da Microsoft e Activision possui algumas mudanças, entre elas a adição de uma taxa de rescisão mais alta. Agora, se uma das empresas desistir do acordo ou se ele não for fechado até 29 de agosto, a multa rescisória será de US$ 3,5 bilhões, saltando para US$ 4,5 bilhões se passar de 15 de setembro sem uma finalização. 

Vale pontuar que o atraso de três meses para concluir a compra da Activision está diretamente relacionado às negociações em andamento com a CMA. Segundo o presidente da Microsoft, Brad Smith, a extensão de 90 dias foi projetada exatamente “para fornecer tempo suficiente para trabalhar nas questões regulatórias finais”. 

Otimista, em um memorando interno para os funcionários do Xbox, o CEO da Microsoft Gaming, Phil Spencer, disse estar confiante em uma finalização, possivelmente até antes do prazo estipulado. 

À medida que nos aproximamos ainda mais da linha de chegada, estamos mais empolgados do que nunca em continuar nossa missão de trazer mais jogos para mais jogadores em todos os lugares. 

Phil Spencer, CEO da Microsoft Gaming. 

Com informações do The Verge

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!