O maior lago da América do Sul fica na Venezuela, tem uma cor esverdeada e sofre com constantes vazamentos de petróleo. Agora, o governo do país prometeu um plano para descontaminar as águas e recuperar totalmente o lago Maracaibo.

Leia mais

Plano de recuperação do lago Maracaibo

  • A promessa, feita pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, aconteceu na última segunda-feira (24) durante um ato comemorativo de uma importante batalha pela independência travada na região do oeste do país.
  • Ele afirmou que o governo irá colocar em prática um plano para descontaminar a região, afetada por constantes vazamentos de petróleo e uma bactéria que produz algas tóxicas.
  • “Recebi as denúncias sobre a questão dos vazamentos de petróleo no lago Maracaibo. Encomendei um estudo técnico-científico (…) e elaborei um plano que quero ativar para a descontaminação e recuperação do Lago de Maracaibo”, afirmou Maduro.

“Emergência nacional”

  • O lago Maracaibo tem 13.200 km² de extensão e é ligado ao Mar do Caribe por um estreito.
  • A cor esverdeada é causada pela proliferação da bactéria “Microcystis”, que produz uma alga tóxica que pode causar doenças.
  • Além disso, o lago tem uma vasta reserva de petróleo em seu subsolo e há anos é afetado por constantes vazamentos, segundo denúncias de ambientalistas e moradores de comunidades próximas.
  • A estatal Petróleos da Venezuela (PDVSA) deixou de fazer a manutenção dos milhares de quilômetros de cabos e dutos em meio à grave crise econômica do país, corrupção, falta de investimentos e sanções aplicadas pelos Estados Unidos.
  • Segundo pesquisadores, é comum ver pássaros, peixes ou qualquer espécie aquática impregnados de óleo.
  • A questão é considerada uma “emergência nacional” por ambientalistas.
  • “Vamos entrar no lago, vamos entrar nele, profundamente, com seriedade, apesar das sanções, do bloqueio, vamos gerar recursos (…), mas o lago Maracaibo, um belo lago, tem que ser recuperado”, prometeu Maduro.

Clima eleitoral

  • As declarações do presidente venezuelano acontecem em meio ao clima de disputa eleitoral, um ano antes das próximas eleições no país.
  • A data do pleito ainda não foi definida e há muitas dúvidas também sobre a transparência da disputa.
  • O governo da Venezuela prometeu eleições limpas, mas os três principais candidatos da oposição foram impedidos de concorrer após uma decisão da Justiça do país.
  • Nesse cenário, parece improvável que Maduro deixe o comando da nação, o que também desperta dúvidas sobre a promessa de recuperação do lago Maracaibo.

Com informações de UOL.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!