O lítio é um dos metais mais valiosos do mundo hoje. O recurso é extraído para a produção de baterias e a demanda tem aumentado especialmente com a popularização dos veículos elétricos, por exemplo. Por conta disso, empresas como a Tesla estão em negociações com a Exxon Mobil para garantir acesso a uma nova fonte do mineral, que é relativamente raro, no Arkansas, nos Estados Unidos.

Leia mais

Corrida pelo lítio

  • O objetivo da Tesla e de outras montadoras é garantir um maior número de suprimentos a um preço mais estável.
  • Com o aumento da demanda, os custos para a compra do material dispararam.
  • A Bloomberg Law  relata que a empresa de Elon Musk, juntamente com Ford e Volkswagen, estão em negociações com a Exxon Mobil.
  • A Exxon, mais conhecida por sua produção de petróleo, está ameaçada pela revolução dos veículos elétricos.
  • Por isso, tem investido na extração de lítio, tendo direitos de exploração de recursos em uma região rica no minério.

Alta demanda gera desafios

  • Um relatório divulgado pela Agência Internacional de Energia aponta que a demanda por minerais, entre eles o lítio, teve um aumento expressivo entre 2017 e 2022.
  • Em dezembro de 2022, a AIE disse que as energias renováveis estavam próximas de ultrapassar o carvão e se tornar a maior fonte de geração de eletricidade do planeta até meados desta década.
  • E os minerais desempenham papel fundamental nesse cenário, sendo utilizados na produção de turbinas eólicas e veículos elétricos, por exemplo.
  • No entanto, a agência afirma que garantir uma oferta suficiente e sustentável dos minerais será um desafio.
  • Especialistas apontam que há riscos para o cumprimento das metas governamentais de redução de emissões de gases de efeito estufa.
  • Se os minerais não forem extraídos na quantidade necessária, pode haver aumentos de preços que tornem mais difícil a transição para energias limpas.

Dependência é um problema

  • A China, por exemplo, lidera a produção de grafite e o processamento de lítio, segundo a AIE.
  • Apesar disso, a segunda maior economia do mundo ainda depende enormemente de outro país, a República Democrática do Congo, para a extração de cobalto.
  • No relatório, a entidade considerou que houve progresso limitado quando se trata da diversificação das fontes de abastecimento nos últimos anos, acrescentando que “a situação até piorou em alguns casos”.
  • Nesse cenário, empresas como a Tesla buscam garantir estoques do recursos nos Estados Unidos.

Com informações de Electrek.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!