O novo cabo submarino Firmina, do Google, que liga os Estados Unidos à América do Sul chegou oficialmente ao Uruguai, e deve desembocar no Brasil ainda esse ano, de acordo com previsões da empresa.

Chamando de Firmina em homenagem à escritora negra do Maranhão, Firmina dos Reis, autora de Úrsula e primeira romancista mulher do país, o cabo chegou ao Uruguai na semana passada, em Punta del Este. Ele sai da costa leste dos Estados Unidos, passa pelo Caribe e possui outros dois ramais que irão chegar à praia de Las Toninas, próxima a Buenos Aires, na Argentina, e a Praia Grande, no litoral de São Paulo, ainda em construção.

Leia mais:

Ligando o Brasil internacionalmente

Após concluído, Firmina se tornará o mais longo cabo submarino a transmitir sinal sem nenhum reforço ao longo do caminho, tendo apenas um fonte de energia em uma das pontas. O cabo possui 12 pares de fibra óptica, sendo produzido e instalado pela empresa SubCom e se juntará a outros cabos de diferentes donos que ligam o Brasil internacionalmente.

publicidade
Cabo Firmina
Credito: Reprodução/ Google

Além do Firmina, o Google também utiliza outros dois cabos que ampliaram a capacidade de tráfego internacional do Brasil em 50%, são eles: o Tannat, ligando Brasil, Uruguai e Argentina; e o Monet, com rota similar ao Firmina, que nos liga aos EUA. A empresa estadunidense também faz parte do cabo Junior, que liga o Rio de Janeiro a São Paulo.

A utilização do cabo Firmina será aberta a outros interessados, e de acordo com o Google irá reduzir a latência da internet brasileira em 4,7% e os preços de trânsito IP em 17%, além de aumentar em 37%, até 2027, a banda disponível por usuário. De acordo com estudo da consultoria Analysys Mason, o investimento movimentará negócios estimados em mais de 124 bilhões de dólares.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!