O setor de cruzeiros foi bastante prejudicado pela pandemia de Covid-19. Mas agora, com o turismo aquecido, o mercado de navios de luxo está a todo o vapor. E tem novidade chegando por aí. O maior navio de cruzeiro já construído está quase pronto, e a viagem inaugural está prevista para janeiro de 2024.

Leia mais

Cinco vezes maior do que o Titanic

  • O luxuoso novo navio da Royal Caribbean, o Icon of the Seas (ícone dos mares, em português), está passando pelos últimos retoques no estaleiro de Turku, na costa sudoeste da Finlândia.
  • A gigantesca embarcação possui parques aquáticos coloridos, mais de 20 decks e pode transportar quase 10 mil pessoas.
  • “Este navio é a partir de hoje, até onde sabemos, o maior navio de cruzeiro do mundo”, disse Tim Meyer, CEO da construtora naval Meyer Turku encarregada da construção.
  • Pesando mais de 250 mil toneladas, ele é cinco vezes maior do que o famoso Titanic.
  • Uma das característica do novo navio, que começou a ser construído em 2021, é uma gigantesca cúpula de vidro que cobre parte de sua seção frontal, segundo informações do Tech Xplore.
A embarcação possui parques aquáticos coloridos e pode transportar quase 10 mil pessoas (Imagem: divulgação/Royal Caribbean International)

Maior lucro, mas maiores desafios

  • O Icon of the Seas conta com sete piscinas, toboáguas e até pista de patinação no gelo.
  • Ela é a aposta para acelerar de vez a retomada do setor após a pandemia.
  • Estimativas da Cruise Lines International Association apontam que o volume de passageiros superará os níveis pré-Covid-19, com 31,5 milhões de passageiros em 2023.
  • Mas esse aumento, aliado a navios cada vez maiores, pode ser um desafio.
  • Isso porque alguns destinos desses cruzeiros, como a modesta cidade ártica de Longyearbyen, no arquipélago de Svalbard, na Noruega, expressaram preocupação com a falta de infraestrutura para acomodar multidões tão grandes.
  • Além disso, como as companhias de cruzeiros visam aumentar a capacidade de passageiros, elas também reduzem a proporção de tripulantes por passageiros, o que pode representar desafios em caso de eventos inesperados.
Icon of the Seas conta com sete piscinas, toboáguas e até pista de patinação no gelo (Imagem: divulgação/Royal Caribbean International)

Impactos ambientais do navio

  • O maior navio de cruzeiro do mundo também gera discussões do ponto de vista ambiental.
  • Ele é considerado mais eficiente em termos energéticos, mas funcionará com gás natural liquefeito (GNL).
  • A opção é mais neutra para o clima, já que tem emissões mais baixas do que os combustíveis navais tradicionais, mas existe uma preocupação com possíveis vazamentos de metano.
  • Um componente típico do GNL, o metano é um poderoso gás de efeito estufa que pode ter um impacto muito pior no clima do que o dióxido de carbono.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!