O Meyer Group, fabricante dos gigantes Icon os the Seas e Odyssey of the Seas, revelou, em março, conceito inovador de navio de cruzeiro chamado “Reverse”, oferecendo vislumbre do futuro do design sustentável de navios de cruzeiro.

O conceito, inspirado na forma aerodinâmica de um pinguim rockhopper, imagina como serão os cruzeiros no ano de 2100 e apresenta plataformas de pouso de drones, fachada de vidro fechada e áreas de jardinagem urbana.

Leia mais:

publicidade
Pinguim rockhopper (Imagem: Giedriius/Shutterstock)

O navio foi projetado para ser movido sem o uso de combustíveis fósseis, utilizando a energia das ondas obtida por meio de asas horizontais no casco do navio, além de células solares e de combustível e energia eólica.

A estrutura da cabine é destacada do casco externo, possibilitando métodos eficientes de fabricação modular. O interior possui ainda áreas públicas centrais.

De acordo com Tim Krug, chefe do Grupo de Desenvolvimento de Conceitos do Meyer Group, o navio é baseado em megatendências globais e é resposta lógica.

Imagem: Divulgação/Meyer Group

Ele explica ainda que o navio possui pequenas áreas de restaurantes que servem mais como pontos de encontro social, pois imaginam que grande parte dos nutrientes serão consumidos de forma concentrada como comprimidos. “O navio é baseado em megatendências globais e é uma das [mas não a única] resposta lógica a elas”, disse.

Para mostrar as possibilidades de materiais sustentáveis, o modelo “Reverse”, exibido na Seatrade Cruise Global, em Fort Lauderdale, Flórida, é construído predominantemente com materiais ecológicos, com 90% deles sendo reciclados ou recicláveis sem resíduos.

O modelo também possui célula de combustível funcional alimentada por metanol para fornecer energia à iluminação do modelo. A equipe da feira comercial do Meyer Group também usa o sistema para carregar smartphones e tablets.

Com informações de cruisehive e CrewCenter

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!