Google está planejando se aventurar em um novo setor. A big tech amplia cada vez mais seus serviços de mapeamento e pretende lucrar com isso vendendo acesso a API e dados relacionados a energia solar, qualidade do ar e até edifícios de cidades inteiras. Assim, a empresa procura atrair clientes de outras áreas, como construtoras, imobiliárias e até instaladoras de energia solar.

Leia mais:

Google no ramo da energia solar

De acordo com materiais vistos pelo site CNBC, o Google quer vender o acesso a APIs (interfaces de programação de aplicativos) com informações sobre índices solares, energéticos e de qualidade do ar para empresas que usam esses dados;

Um dos planos inclui uma API Solar, que forneceria um tipo de calculadora de economia solar. Com ela, os usuários inserem o endereço e recebem os custos estimados para instalar energia solar, bem como possíveis economias na conta de luz e as proporções da instalação;

publicidade

Segundo documentos os quais o site teve acesso, empresas de instalações solares como SunRun e Tesla seriam os clientes alvo. Companhias de energia, imobiliárias e de hospitalidade também estão na mira do Google para esse serviço;

Outro serviço nos planos da big tech é vender acesso ao API de dados de edifícios individuais e de conjuntos de instalações de cidades ou condados inteiros, para serem aproveitados por construtoras ou instaladoras, por exemplo. Isso porque a empresa já revelou ter dados de mais de 350 milhões de edifícios.

Ainda, a big tech deve anunciar uma API de qualidade do ar, permitindo que os clientes solicitem dados de qualidade do ar, poluentes e recomendações de saúde para locais específicos, entre outros dados.

Lucros

Google vai vender dados de mapeamento para fins como energia solar (Foto: Google Maps/Reprodução)

A empresa irá se aventurar no setor por um motivo: lucros. Um documento interno acessado pela CNBC mostrou que os dados solares, como os que o Google quer vender, gerarão uma receita de US$ 90 a US$ 100 milhões apenas no primeiro ano de lançamento.

Além disso, os materiais indicam que pode haver conexão entre as API e os produtos do Google, como o Cloud.

Os planos para o novo negócio vêm em meio à desaceleração na receita da empresa, ao mesmo tempo que já lucra com outras APIs.

Outras APIs do Google

No entanto, apesar da energia solar ser algo novo, o ramo das APIs não é inteiramente novidade para o Google. Atualmente, a big tech já vende dados de navegação para o Uber, por exemplo, que só até 2019 já havia desembolsado US$ 58 milhões.

Além disso, a empresa está investindo em seus serviços de mapeamento e deve ampliar as vendas.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!