A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) abriu uma consulta pública na última terça-feira (6) para reavaliar os requisitos técnicos de carregadores de celulares. O processo aconteceu após pedidos de revisão dos requisitos anteriores, definidos em 2022, e a nova proposta propõe a padronização dos carregadores de veículos para que estejam em conformidade com o padrão brasileiro de três pinos.

Leia mais:

Consulta pública da Anatel

A consulta pública ficará no ar por 70 dias e vem após a publicação do ato 5159/22, de 2022, que recebeu críticas por estabelecer procedimento de testes que não eram condizentes com a realidade dos produtos.

Os fabricantes de carregadores de veículos, por exemplo, alegaram que alguns procedimentos simplesmente não eram usados nos testes. Já os de carregadores de parede informaram que as normas dos ensaios mecânicos estavam muito severas e não eram adequadas para a realidade do produto.

publicidade

Com as normas de 2022, muitos produtos que estão no mercado há anos não passariam no teste, mesmo nunca tendo casos de problemas estruturais.

Ana
Anatel vai revisar requisitos após críticas de empresas da indústria (Foto: Anatel/Reprodução)

Revisão dos requisitos dos carregadores de celular

  • Laboratórios habilitados pela Anatel confirmaram que seria necessário ter mais detalhamento sobre as padronizações. Caso os dispositivos não tenham o aval da empresa, não poderão ser comercializados em território nacional.
  • Então, a agência revisou os requisitos anteriores e, na nova proposta, os carregadores de veículos passarão apenas pelos requisitos mínimos, como proteção contra superaquecimento. Portas USB com carregador não terão que passar pela certificação.
  • Segundo o site Telesíntese, isso acontece depois de testes comprovarem a durabilidade e estabilidade em situações do cotidiano.
  • Alguns dos testes são garantir que, após 5 mil tentativas de colocar e retirar da tomada, nenhum peça tenha se soltado ou desapertado, ou que eles suportem até 100 quedas livres sem danos.
  • A Antela também propõem termos para carregadores por indução, que também deverão atender normas a agência de telecomunicações dos Estados Unidos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!