A história da humanidade é marcada pelas migrações. Por milhares de anos, nossa espécie se deslocou pela Terra em busca de água, alimentos e tudo o que proporciona uma vida melhor. Mas existe um ponto de início para tudo isso: o lar ancestral de todos nós. Um estudo publicado na revista Science diz ter encontrado esse local.

Leia mais

Árvore genealógica humana

De acordo com uma análise realizada por pesquisadores do Instituto de Big Data da Universidade de Oxford, na Inglaterra, o lar ancestral de todos os humanos fica em um deserto, no nordeste do Sudão. A região não fica muito longe do rio Nilo, fundamental na história humana.

Essencialmente, estamos reconstruindo os genomas de nossos ancestrais e usando-os para formar uma vasta rede de relacionamentos. Podemos então estimar quando e onde esses ancestrais viveram.

Dr. Anthony Wilder Wohns, principal autor do estudo

Usando dados de oito bancos de dados diferentes de genoma humano, os pesquisadores conseguiram criar uma rede de quase 27 milhões de ancestrais. As amostras não vieram apenas de humanos modernos, mas também de povos antigos que viveram em todo o mundo entre milhares e centenas de milhares de anos atrás.

publicidade

Algoritmos foram empregados para escanear os dados em busca de padrões de variação genética. Dessa forma, foi possível criar uma gigantesca árvore genealógica.

Basicamente construímos uma enorme árvore genealógica, uma genealogia para toda a humanidade. Essa genealogia nos permite ver como a sequência genética de cada pessoa se relaciona com todas as outras, ao longo de todos os pontos do genoma.

Yan Wong, geneticista evolucionista e um dos autores do estudo

O resultado foi o desenvolvimento de uma representação visual do movimento e migração humana ao longo da história.

Pesquisadores criaram mapa da migração humana ao longo de milhares de anos (Imagem: reprodução/DOI: 10.1126/science.abi8264)

Próximos passos

  • Apesar dos resultados, os pesquisadores pretendem continuar adicionando e melhorando o mapa genealógico humano a partir de mais amostras de genoma.
  • O objetivo é preparar as bases para a próxima geração de sequenciamento de DNA.
  • Os cientistas ainda ressaltam que o método é válido para a maioria dos seres vivos e pode ser utilizado para entendermos melhor a evolução no nossa planeta.
  • Além de servir como base de informações fundamental para ajudar no combate a uma série de doenças, segundo a IFLScience.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!