Um estudo publicado na Scientific Reports revelou que os chatbots de IA com modelo de linguagem grande (LLM) podem ser capazes de superar os humanos em tarefas de pensamento criativo. Pelo menos em algumas delas, como nas que envolvam usos alternativos para funções do cotidiano.

Leia mais

publicidade

Durante a pesquisa, a IA se mostrou mais eficiente nos casos de pensamento divergente, que geralmente são classificados pelo processo de pensamento associado à criatividade e envolvem a geração de muitas ideias ou soluções diferentes para uma determinada tarefa.

Etapas do estudo

  • Esse processo costuma ser avaliado pela Tarefa de Usos Alternativos (AUT), em que os participantes precisam encontrar o maior número possível de usos alternativos para um objeto do cotidiano em um curto período de tempo;
  • As respostas são pontuadas em quatro categorias diferentes: fluência, flexibilidade, originalidade e elaboração;
  • Segundo o Tech Xplore, os pesquisadores compararam as respostas de 256 participantes humanos com as de três chatbots de IA (ChatGPT3, ChatGPT4 e Copy.Ai) com base na AUTs para quatro objetos.

Resultados

A equipe avaliou a originalidade das respostas e as classificou em termos de criatividade e distância semântica – ou seja, no quão relacionada a solução estava com o uso original do objeto. Um método computadorizado quantificou a distância semântica em uma escala de 0 a 2, enquanto os avaliadores humanos avaliaram a criatividade de 1 a 5.

publicidade

De uma forma geral, as respostas geradas pelo chatbot obtiveram pontuações significativamente mais altas do que as respostas humanas, tanto para distância semântica (0,95 contra 0,91), quanto para criatividade (2,91 contra 2,47). 

Por outro lado, a melhor resposta humana superou a melhor resposta de cada chatbot em sete das oito categorias de pontuação.

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!