Hollywood é famosa por produzir filmes de grande sucesso comercial no mundo todo. Entretanto, pesquisas recentes sugerem que, após o período de pandemia, muitos especialistas e profissionais da indústria acreditam que os cinemas nunca mais alcançarão os níveis de bilheteria semelhantes aos registrados antes da quarentena

Independentemente de essa previsão se concretizar ou não, é inegável que a meca do cinema norte-americano já experimentou momentos de fracasso ao longo dos anos. Existem exemplos de filmes que tiveram resultados tão desastrosos que influenciaram profundamente o cenário cinematográfico de Hollywood.

Leia mais:

Contudo, identificar os maiores fracassos comerciais é subjetivo, já que os números de bilheteria dependem de fatores como orçamento e expectativas de lucro. Além disso, filmes que não foram bem nas bilheteiras podem ganhar popularidade mais tarde, seja em formatos de vídeo, streaming ou por meio de produtos licenciados. 

publicidade

Neste contexto, selecionamos uma lista com grandes exemplos de filmes que tiveram um desempenho ruim nas bilheterias em relação aos seus custos de produção. As quantias mencionadas a seguir são os valores monetários da época em que os longas foram lançados.

John Carter – Entre Dois Mundos (2012)

“John Carter – Entre Dois Mundos” (“John Carter”, 2012) / Crédito: Walt Disney Studios Motion Pictures (divulgação)

Disponível para assinantes do Disney+

Produzido pela Walt Disney Pictures, “John Carter” é um filme de aventura e ficção científica baseado no romance clássico “A Princess of Mars” de Edgar Rice Burroughs, publicado pela primeira vez em 1912, e faz parte de uma série de histórias conhecidas como a série “Barsoom”. 

Planejado para ser uma trilogia, “John Carter” foi inicialmente planejado como um grande sucesso de bilheteria, com um orçamento estimado em cerca de 250 milhões de dólares (declarações de imposto divulgadas em 2014 revelaram que o orçamento exato do filme foi de $263,7 milhões após considerar créditos fiscais).

Apesar de ter arrecadado quase US$ 300 milhões em todo o mundo, o filme é considerado um dos maiores desastres financeiros de Hollywood. O alto custo de produção e marketing, aliados às expectativas de lucro não alcançadas, culminaram em prejuízos significativos para a Disney, estimados em cerca de US$ 200 milhões.

O 13º Guerreiro (The 13th Warrior, 1999)

“O 13º Guerreiro” (“The 13th Warrior”, 1999) / Crédito: Buena Vista Pictures Distribution (divulgação)

Disponível para assinantes do Star+

Dirigido por John McTiernan (“Predador”, “Duro de Matar”) e estrelado por Antonio Banderas, “O 13º Guerreiro” é um dos maiores fiascos de bilheteria da história do cinema. 

Apesar de ter sido um projeto de alto investimento, com um orçamento de produção estimado em cerca de US$160 milhões, o longa não atraiu um público significativo, arrecadando apenas cerca de US$61 milhões em todo o mundo após seu lançamento. 

Essa receita não cobriu os custos de produção e marketing, resultando em um prejuízo estimado de até impressionantes US$129 milhões para o estúdio.

O Portal do Paraíso (Heaven’s Gate, 1980)

“O Portal do Paraíso” (“Heaven’s Gate”, 1980) / Crédito: United Artists (divulgação)

Dirigido por Michael Cimino, hoje cultuado (para muitos cinéfilos dos dias de hoje, uma verdadeira obra-prima), mas outrora símbolo icônico do fracasso em Hollywood, deixou um legado profundo na indústria cinematográfica. Com seu desempenho financeiro desastroso e críticas negativas, o filme instigou os estúdios a reavaliar seus modelos de produção, resultando em maior supervisão dos orçamentos e prazos dos filmes. 

Além disso, marcou o fim da era da “Nova Hollywood”, caracterizada pela liberdade criativa dos cineastas, e teve um impacto negativo na carreira de um dos mais talentosos diretores americanos de todos os tempos.

Confiando na capacidade do diretor recém-ganhador do Oscar pelo filme “O Franco Atirador”, a United Artists bancou o projeto de “O Portal do Paraíso”. O longa inicialmente teve um orçamento estimado de cerca de US$ 11 milhões. Porém, esse valor aumentou consideravelmente durante a produção. Alcançou gastos de 44 milhões de dólares, devido a atrasos, refilmagens e outros problemas durante a filmagem.

No entanto, quando o filme foi lançado nos Estados Unidos, sua receita nas bilheteiras foi de aproximadamente 3,5 milhões de dólares, muito aquém do alto custo de produção. 

O desempenho nas bilheteiras foi tão desastroso que a United Artists, sofreu perdas superiores a 100 milhões de dólares, levando à sua venda para a MGM na tentativa de estabilizar suas finanças.

A Ilha da Garganta Cortada (Cutthroat Island, 1995)

“A Ilha da Garganta Cortada” (“Cutthroat Island”, 1995) / Crédito: Metro-Goldwyn-Mayer (divulgação)

Filme de aventura e ação dirigido por Renny Harlin e estrelado por Geena Davis, Matthew Modine, e Frank Langella. O filme é notável por ser uma das maiores produções de piratas da história do cinema, mas também por ser um dos maiores fracassos comerciais de todos os tempos.

O longa enfrentou vários problemas durante a produção, incluindo atrasos, problemas orçamentários e ferimentos no set. Realizado com um orçamento de produção aproximado de 98 milhões de dólares, sua receita global alcançou apenas cerca de 18,5 milhões de dólares. Uma quantia insuficiente para cobrir sequer uma pequena parte do alto custo de produção. 

Como resultado, a produção incorreu em prejuízos substanciais, com estimativas indicando que os estúdios envolvidos sofreram perdas superiores a 100 milhões de dólares.

Ishtar (1987)

“Ishtar” (1987) / Crédito: Columbia Pictures (divulgação)

Comédia com nomes renomados de Hollywood: Elaine May na direção e astros como Warren Beatty, Dustin Hoffman e Isabelle Adjani nos papéis principais.

Entretanto, o longa é notório por ter sido um grande fracasso de bilheteria e crítica na época de seu lançamento. E, além disso, é frequentemente mencionado em listas de piores filmes já feitos. No entanto, ao longo dos anos, ele ganhou um status cult e é visto por alguns como uma obra subestimada.

“Ishtar” teve um alto custo de produção, com estimativas em torno de US$ 51-55 milhões, caro para a época. Porém, o filme arrecadou apenas cerca de US$ 14 milhões nos Estados Unidos e internacionalmente não teve um desempenho melhor.