As línguas (ou idiomas) fazem parte da evolução da humanidade. Algumas já não existem mais, caso do aramaico, ou são pouquíssimo usadas, como o sânscrito e o próprio latim. Outras passaram por verdadeiras revoluções com o passar dos anos: inglês, chinês, grego, japonês e tantas outras podem ser utilizadas como exemplo aqui. Mas a inteligência artificial conseguiu trazer todas elas de volta!

Leia mais

IA e o som das línguas antigas

  • Uma série de vídeos feita usando IA mostra como soavam as línguas antigas.
  • O projeto é desenvolvido pelo canal do YouTube Equator AI, que afirma que se esforça “para preservar e reviver o passado da humanidade, tornando-o mais próximo e compreensível para as pessoas de nossa era”.
  • Os vídeos se chamam “The Sound of Ancient Languages. You Haven’t Seen Anything Like This Before!” (O som das línguas antigas. Você nunca viu nada assim antes!)
  • As informações são da IFLScience.

Diferenças são gritantes

Entre as várias línguas apresentadas está o inglês. Claro que ele é muito diferente do que é falado atualmente por boa parte do mundo.

As diferenças se devem principalmente pelo que ficou conhecido como a “grande mudança vogal”. Do século 15 até o 18, os falantes de inglês começaram a pronunciar suas vogais longas de forma diferente, fazendo com que a língua antiga soasse bastante estranha para os falantes modernos do inglês.

publicidade

Além disso, houve mudanças estruturais e gramaticais no inglês antigo, uma língua de origem germânica. Dessa forma, é bastante complicado entender a essência do que era conversado séculos atrás.

Muitas mudanças também podem ser percebidas em outras línguas que ainda existem: japonês, chinês e até o grego são algumas delas. Se você fala ou entende qualquer uma delas, que tal se aventurar e tentar compreender falas antigas? Mas se não tiver conhecimento sobre essas línguas, basta acompanhar como elas soavam muito anos atrás.