A Apple anunciou, nesta segunda-feira (30), a nova geração de chips para os Macs: M3, M3 Pro e M3 Max. Todos contam com litografia de 3 nanômetros e prometem melhorias generosas para a placa de vídeo integrada, além de maior eficiência energética enquanto trabalham mais do que as famílias anteriores.

Leia mais:

O que você precisa saber:

  • Os novos chips M3 utilizam litografia de 3 nanômetros e isso significa que eles consomem menos energia para alcançar o mesmo desempenho da geração passada
  • A Apple diz que essa proporção está em metade do consumo energético para o mesmo pico de força do M1
  • O maior salto na evolução do M3 está na placa de vídeo, suportando tecnologias recentes presentes apenas no PS5, Xbox Series S/X e as GPUs mais fortes da Nvidia e AMD
  • Em números o M3 Max alcança absurdos 128 GB de memória unificada e vai até 40 núcleos na GPU

Começando pela parte mais empolgante, a própria Apple está movendo seu sistema inteiro para que ele seja compatível com jogos pesados. Durante o anúncio da família M3 de chips, a empresa da maçã reforçou seu empenho na placa gráfica e comentou que agora ela é compatível com Mesh Shaders, além do Dynamic Caching para gerenciar melhor os recursos da GPU.

Chip M3 da Apple aposta forte em jogos

Este tipo de tecnologia, o Mesh Shader, está presente somente nas placas de vídeo mais recentes, a partir da série 16 e 20 da Nvidia GeForce, 6000 da Radeon (AMD) e nos consoles da atual geração – PS5 e Xbox Series S/X. Existe um game recente que exige este tipo de recurso e ele é o Alan Wake 2, sendo ele superior ao também pesado Control, da mesma desenvolvedora.

publicidade

A Apple não demonstrou estes games na apresentação, mas exibiu uma tela de jogatina de game menos pesado, mas ainda assim intenso: Baldur’s Gate 3.

Enfim, olhando para números e não sonhando tão alto em um mundo onde o Mac é uma plataforma para jogos pesados como o Windows sempre foi, os chips M3 contam com litografia de 3 nanômetros e ela foi lançada no iPhone 15 Pro. Este dado significa que a Apple conseguiu colocar mais componentes no mesmo espaço do chip, tornando ele mais veloz e aumentando sua eficiência energética.

Myst rodando no MacBook Pro com M3 (Imagem: divulgação/Apple)
Myst rodando no MacBook Pro com M3 (Imagem: divulgação/Apple)

Este segundo ponto foi exemplificado com o M1, também da Apple e na mesma arquitetura ARM. Segundo a empresa, o M3 consegue o mesmo desempenho enquanto gasta metade da energia para alcançar este ponto.

Enfim, o M3 de base conta com oito núcleos para CPU, sendo metade deles para desempenho bruto e a outra metade para baixo consumo de energia. A GPU trabalha com 10 núcleos e ela é 65% mais veloz que a placa gráfica do M1. A memória unificada máxima é de 24 GB para RAM.

Chip Apple M3 Max (Imagem: divulgação/Apple)
Chip Apple M3 Max (Imagem: divulgação/Apple)

Já o M3 Pro tem 12 núcleos para CPU e 18 para GPU, indo até 36 GB de memória unificada, enquanto o M3 Max alcança 16 e 40 núcleos respectivamente, com absurdos 128 GB de RAM. Os primeiros computadores com os chips M3 chegam já em novembro e são as versões atualizadas do MacBook Pro de 14 e 16 polegadas, além de um iMac.