O concreto tradicional usado nas construções é bastante poluente. Entretanto, uma fábrica nos Estados Unidos está tentando deixar o material menos danoso para o meio ambiente e surpreendente isso é feito adicionando dióxido de carbono na mistura de areia, água, pedra e cimento.

O problema do concreto está na pegada de carbono. O termo é usado para se referir a toda a emissão de gases do efeito estufa por um material, entidade ou pessoa.

  • O material híbrido criado em Washington DC foi batizado de betão verde;
  • Ele não consegue excluir todo o carbono produzido pelo concreto;
  • Mas funciona como uma alternativa parcial para diminuir a pegada em uma das indústrias que mais polui no mundo. 

Como funciona o novo concreto?

O concreto tradicional é responsável por cerca de 7% de todo o dióxido de carbono produzido no mundo. A versão verde do material conta com CO2 líquido despejado dentro dos tambores dos caminhões betoneiras.

O material reage com  íons de cálcio do cimento para formar carbonato de cálcio. Esse mineral reduz a quantidade de cimento necessário na produção do concreto.

publicidade

Leia mais

“Sempre que pudermos reduzir a quantidade de cimento, podemos reduzir a quantidade de CO2”, a declaração é de Teck Chua, diretor de serviços técnicos da Materiais Vulcanos, uma empresa de materiais de construção que produz concreto verde, ao The Wall Street Journal.

Como a produção do betão verde é relativamente simples, especialistas acreditam que uma rede global desse material possa ser criada para desafogar parte da poluição gerada pelo concreto.

A utilização do concreto verde em construções depende também das empresas que constroem. Atualmente, companhias como Amazon e Microsoft já usam o material na construção de seus prédios, mas isso ainda é só o começo. Para que os efeitos do novo betão sejam sentidos é necessário um uso mais massivo da mistura.