Os fãs de The Last of Us terão que esperar um pouco mais pela segunda temporada da série. A HBO anunciou em janeiro que a produção da adaptação dos games da Naughty Dog estava em andamento. Mas nesta quinta-feira, 2 de novembro, o chefe de conteúdo da HBO e Max, Casey Bloys, anunciou que a segunda temporada só entrará em produção no início de 2024.

Bloys explicou em uma coletiva de imprensa (via Variety) que a produção foi adiada devido às greves do sindicato dos roteiristas (WGA) e atores (SAG-AFTRA) de Hollywood, sendo que esta última ainda está em andamento. Além disso, a Variety informou que a série não estava prevista para o calendário da HBO em 2024, o que sugere que a segunda temporada pode não ser lançada antes de 2025, no mínimo.

Leia mais:

Assim, os fãs terão que esperar um pouco mais para a segunda temporada de The Last of Us.

publicidade

No entanto, vale ressaltar que já houve preparação para a nova temporada. “Nós já elaboramos todos os episódios da segunda temporada e estamos prontos para começar assim que a greve terminar”, afirmou o co-criador da série, Neil Druckmann, em uma entrevista à Entertainment Weekly publicada em setembro. Além disso, o showrunner Craig Mazin confirmou que havia submetido um roteiro para o primeiro episódio da temporada pouco antes do início da greve da WGA.

Outras informações

  • Na mesma ocasião, Bloys também revelou alguns detalhes sobre o lineup de conteúdo da HBO.
  • A segunda temporada de House of the Dragon está prevista para ser lançada no “início do verão” americano (que começa no final de junho) de 2024, conforme relata a Variety.
  • Inclusive, os membros da imprensa presentes na coletiva puderam assistir a um trailer da série do universo de Game of Thrones.
  • Além disso, os fãs podem esperar a terceira temporada de The White Lotus e o spinoff do terror It: A Coisa, Welcome to Derry, em 2025, de acordo com o Deadline.
  • O chefe de conteúdo da HBO também abordou uma reportagem da Rolling Stone que detalhava como um funcionário foi instruído a responder de forma negativa a críticas online no X, ex-Twitter.
  • Bloys destacou que agora ele prefere lidar com críticas diretamente via mensagens diretas (DM) e elogiou a abordagem mais saudável de dialogar com os críticos.