Pela primeira vez, átomos de oxigênio foram detectados na atmosfera do lado diurno de Vênus, sem fazerem parte de moléculas maiores. Embora o oxigênio já tenha sido observado no lado noturno do planeta, o mesmo estudo revelou que ele está muito mais difundido do que se pensava anteriormente.

O que você precisa saber:

  • Essas descobertas, publicadas hoje (7) na revista científica Nature, representam um passo significativo em direção a futuras missões espaciais a Vênus, que agora estão cada vez mais presentes na agenda das agências espaciais.
  • Vênus, em muitos aspectos, é o planeta mais semelhante à Terra, mas a sua atmosfera é muito diferente.
  • Embora ninguém duvide da presença de oxigênio em sua atmosfera, dado que o oxigênio é o terceiro elemento mais comum no universo, a atmosfera de Vênus é dominada por dióxido de carbono (CO₂) e monóxido de carbono (CO).
  • No entanto, a presença de oxigênio atômico, sem estar ligado a outros elementos, era incerta.

Leia mais:

Um estudo liderado pelo Professor Heinz-Wilhelm Hübers, do Centro Aeroespacial Alemão, e sua equipe, utilizou o Observatório Estratosférico de Astronomia no Infravermelho (SOFIA) para buscar oxigênio na alta atmosfera de Vênus em 17 locais diferentes, e o encontraram em todos eles.

O oxigênio na atmosfera de Vênus é formado pela luz solar que quebra as moléculas de CO₂ e CO. Posteriormente, os ventos intensos de Vênus transportam esses átomos para o lado noturno, onde eles se combinam para formar oxigênio molecular (O₂), semelhante à nossa atmosfera, antes de reagir com outros elementos.

publicidade

Mesmo com essa redistribuição, a densidade de oxigênio no lado diurno é até cinco vezes maior do que no lado noturno.

Importância do oxigênio para Vênus

Segundo a equipe de pesquisa, o oxigênio atômico tem um papel importante na atmosfera de Vênus. Quando um átomo de oxigênio colide com uma molécula de dióxido de carbono, ele fornece à molécula energia, que é então radiada a 15 micrômetros.

Esse processo é o método dominante de resfriamento nas camadas superiores da atmosfera de Vênus e desempenha um papel crucial na regulação da temperatura em um planeta que já é o mais quente do Sistema Solar.

Os átomos de oxigênio estão concentrados a uma altitude de cerca de 100 quilômetros, um ponto em que a atmosfera da Terra é tão fina que é considerada a fronteira com o espaço. No entanto, a atmosfera venusiana é muito mais espessa em toda a sua extensão.

As concentrações mais altas de oxigênio estão localizadas entre os dois padrões dominantes de circulação atmosférica, um abaixo de 70 quilômetros e o outro acima de 120 quilômetros. Vênus gira tão lentamente, com um dia mais longo que um ano, que seus ventos em altitudes elevadas se movem mais rapidamente do que a própria rotação do planeta.