O governo federal anunciou, no início do ano, que lançaria um programa para possibilitar a compra de passagens aéreas por R$ 200. O Voa Brasil ainda não foi lançado e nem existe data para entrar em operação. Mesmo assim, criminosos já utilizam anúncios falsos na internet para dar golpes em interessados na promoção.

Leia mais

publicidade

Como funciona o golpe

  • Um levantamento do NetLab, um laboratório de pesquisa da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) identificou 457 anúncios falsos envolvendo o programa Voa Brasil em 24h.
  • Ao clicar na propaganda, a vítima é redirecionada para um chat, também falso, com o símbolo do governo federal.
  • Nesse momento, os golpistas pedem o número do CPF do usuário.
  • As informações são do G1.

Anúncios falsos não são problema novo

A coordenadora do NetLab, Rose Marie Santini, explica que qualquer pessoa com um cartão de crédito pode postar um anúncio em rede social – seja ele verdadeiro ou falso.

Além disso, não existe nenhuma legislação no Brasil que obrigue as plataformas a fornecerem relatórios com dados do que foi anunciado, quem pagou e publicou ou quantos viram o anúncio. Isso já é obrigatório na União Europeia, por exemplo.

publicidade

A primeira coisa que a gente precisa fazer é para que as plataformas respeitem as leis brasileiras. Respeitem as leis existentes e se submetam ao mesmo regime jurídico de qualquer publicidade fora do ambiente digital. Então, essa é a primeira questão urgente.

Rose Marie Santini, coordenadora do NetLa

O Secretário Nacional do Consumidor diz que já deu um prazo de 72 horas para que as plataformas apaguem os anúncios falsos do Voa Brasil. A mesma ordem foi dada em setembro em relação a outro programa do governo federal, o Desenrola Brasil, de renegociação de dívidas.

Mas dois meses depois, o NetLab, da UFRJ, ainda encontrou vários anúncios nas redes com tentativas de golpe. A reportagem do G1 buscou contato com a Meta, mas ainda não havia recebido resposta.