Quem é torcedor de futebol ou conhece alguém que é, sabe que uma partida pode gerar diferentes emoções. Desde alegria, passando por tristeza e a raiva. Fãs do esporte são conhecidos por sua lealdade, mas também por comportamentos violentos. Como será que o fanatismo influência a rivalidade extrema e a agressão?

Cientistas buscaram por respostas para essa questão analisando o cérebro de torcedores em ressonância magnética. Os resultados da pesquisa, que será apresentada no encontro da Sociedade Radiológica da América do Norte (RSNA), podem ser um caminho para entender o fanatismo em outras áreas, como a política.

Entendendo o fanatismo: fase de testes

  • Para a pesquisa foram recrutados 43 voluntários saudáveis ​​do sexo masculino que torcem para times de futebol chilenos arquirrivais.
  • Eles foram divididos em dois grupos: 22 torcedores de um time e 21 do time rival.
  • Todos realizaram um teste para medir o nível de fanatismo e passaram por avaliações psicológicas.
  • Os voluntários foram submetidos a ressonância magnética funcional, enquanto assistiam à compilação de partidas contendo 63 gols.
  • A atividade cerebral foi medida por técnica de imagem não invasiva que detecta alterações no fluxo sanguíneo do cérebro.

Leia mais:

O que os cientistas descobriram?

Imagem: RSNA/Francisco Zamorano Mendieta, Ph.D.

Os resultados da ressonância magnética revelaram que a atividade cerebral dos torcedores se altera conforme o fracasso ou a vitória de seu time. Quando a equipe vencia, a parte de recompensa do cérebro era ativada, enquanto no caso contrário, a rede de mentalização era acionada, causando um estado de introspecção no indivíduo.

publicidade

Dr. Zamorano, um dos autores do estudo, explica ao Medical Express, como essa segundo caso afeta o torcedor:

Isso [a introspecção] pode atenuar um pouco a dor da perda. Também observamos a inibição do núcleo cerebral que conecta o sistema límbico com as cortezas frontais, prejudicando o mecanismo que regula o controle cognitivo e aumentando a probabilidade de envolvimento em comportamentos disruptivos ou violentos.

Dr. Zamorano para o Medical Express

Descoberta pode ajudar a entender dinâmica social

O Dr. Zamorano sugere que as descobertas sobre o fanatismo podem oferecer insights valiosos sobre a dinâmica social em várias áreas da vida. Ele explica que a busca inata das pessoas por conexões sociais são, geralmente, moldadas por crenças e interesses compartilhados. Mas, alerta para a influência do “pensamento de grupo”, que pode levar a crenças irracionais e discórdia social.

O fervor observado entre alguns fãs de esportes é um exemplo de investimento emocional intenso, comportamento agressivo e racionalidade comprometida. Segundo Zamorano, compreender a psicologia por trás disso pode proporcionar uma visão mais completa dos processos de tomada de decisão e dinâmicas sociais.

O fandom de esportes apresenta uma oportunidade única para analisar como a devoção intensa afeta a atividade neural em um contexto menos controverso, particularmente ao destacar o papel das emoções negativas , os mecanismos de controle inibitório relacionados e possíveis estratégias adaptativas

Dr. Zamorano em entrevista para o Medical Express