Caixa Econômica Federal, o Itaú e o Santander irão oferecer 494 lotes de espaços residenciais e comerciais em leilões de imóveis nos próximos dias. Eles podem ser arrematados por valores a partir de R$ 10 mil.

Leia mais

O leilão da Caixa será o maior e conta com 292 imóveis, entre apartamentos, casas e terrenos espalhados por todas as regiões do Brasil. As propostas podem ser apresentadas até às 10h desta sexta-feira (24), quando a sessão do leilão começa (confira aqui o edital).

Também na sexta acontece o leilão do Itaú, a partir das 11h. O banco oferece 38 imóveis em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio Grande do Norte, Pará e Pernambuco. Os interessados em pagar o valor do imóvel à vista ganham até 15% de desconto sobre o valor total (veja aqui o edital).

publicidade

Por fim, o leilão do Santander conta com 166 imóveis e acontece no dia 04 de dezembro, a partir das 14h (edital pode ser acessado clicando aqui).

Imóvel mais barato

O imóvel mais barato, que pode ser arrematado a partir de R$ 10 mil, fica localizado em Cristinápolis, no Sergipe. A casa de 318 m² de área de terreno e 66 m² de área construída está desocupada. O lote faz parte do leilão do Santander.

Já o imóvel mais caro está localizado em Brasília (DF) e custa a partir de pouco mais de R$ 6,9 milhões. São 2.250 m² de área de terreno, com mais de 794 m² de área privativa. A casa tem quatro salas, cinco quartos, cozinha, três varandas, lavo e banheiro de serviço. O lote faz parte do leilão da Caixa.

Os leilões também tem diversas opções de imóveis em cidades litorâneas e de interior em vários estados do Brasil.

Informações importantes sobre os leilões

  • O comprador, além de pagar o valor integral pelo qual o imóvel foi arrematado, precisa arcar com todos os eventuais custos de regularização, condomínio e outros gastos.
  • Mas atenção: vários dos imóveis disponíveis nestes leilões estão ocupados.
  • Embora a legislação preveja que, ao comprar um imóvel, o dono tem pleno direito de ocupá-lo, nos casos de arremate de um terreno que está em uso por outras pessoas pode haver alguns processos para conseguir a desocupação.
  • Por isso, é importante verificar todos esses detalhes na descrição do imóvel nas páginas dos leilões e, se possível, visitar o local.
  • As informações são do G1.