O El Niño ainda está causando estragos no mundo. Após o mês de novembro ser o mais quente da história, o que esperar do restante de dezembro? O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) divulgou a previsão do tempo para as próximas semanas, que devem contar com muita chuva para o Sul e Sudeste do Brasil.

O que você precisa saber?

  • O El Niño não acabou;
  • As próximas semanas devem contar com muita chuva em partes do Brasil;
  • A previsão é do Inmet.

Confira a previsão do tempo para as próximas semanas

Previsão para a 1ª semana (04/12/2023 a 11/12/2023):

Região Norte: são previstas chuvas em forma de pancadas, durante a semana, com valores maiores que 60 milímetros (mm) no Amazonas, Acre, Rondônia, Pará, sul de Roraima e norte do Amapá que podem vir acompanhadas de raios, rajadas de ventos e trovoadas devido à combinação de um Vórtice Ciclônico de Altos níveis e ao calor e alta umidade. Com menores acumulados previstos no Tocantins. Nas demais áreas não descartam pancadas de chuvas isoladas (tons em azul).

publicidade

Região Nordeste: a previsão é de tempo seco e sem chuva, além de baixos valores de umidade relativa (áreas em branco e azul). Contudo, não se descarta possíveis pancadas de chuvas isoladas no litoral da região no início da semana, por causa do transporte de umidade do oceano para o continente. Nos estados do Ceará, Maranhão, Piauí e oeste da Bahia, podem ocorrer chuvas em forma de pancadas devido ao calor e alta umidade.

Leia mais

Regiões Centro-Oeste e Sudeste: são previstas chuvas intensas e mais localizadas em áreas de São Paulo, Rio de Janeiro e sul mineiro, que podem superar os 60 mm e vir acompanhadas de raios, rajadas de ventos e trovoadas. Menores acumulados são previstos em áreas pontuais da Região Sudeste. A partir do dia 7 de novembro haverá redução das chuvas no Espírito Santo, leste de Goiás e no centro-norte de Minas Gerais.

Região Sul: os temporais continuam no decorrer da semana devido a atuação de uma massa de ar quente e úmida, que podem vir acompanhadas de raios, rajadas de ventos e possíveis queda de granizo. Os maiores acumulados podem ultrapassar os 70 mm em áreas centro-oeste da Região.

 Previsão de chuva para 1ª semana (4 e 11/12/2023). Fonte: INMET.

Previsão para a 2ª semana (12/12/2023 a 20/12/2023):

Região Norte: são previstos acumulados maiores que 50 mm no Amazonas, Acre, Rondônia, Tocantins e sul do Pará. Na parte norte, a previsão é de pouca chuva, com acumulados inferiores a 20 mm.

Região Nordeste: a previsão é de tempo seco e sem chuva, principalmente na costa norte e leste. Contudo, são previstas pancadas de chuvas no Maranhão, Piauí e Bahia, que inclui área do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).

Regiões Centro-Oeste e Sudeste: há previsão de pancadas de chuvas localmente fortes que devem ultrapassar 70 mm, especialmente em Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo. Nas demais áreas, não se descarta pancadas de chuvas de forma isolada.

Região Sul: a previsão é de acumulados de chuvas maiores que 30 mm no Rio Grande do Sul e Paraná. Em Santa Catarina, previsão de pouca chuva.

Previsão de chuva para 2ª semana (12 e 20/12/2023). Fonte: GFS.

O que é El Niño?

É um fenômeno que ocorre quando as águas do Pacífico, próximas à Linha do Equador, passam por um aquecimento acima do normal por um período de no mínimo seis meses. Ele altera a formação de chuvas, a circulação dos ventos e a temperatura.

Quais os efeitos do El Niño no Brasil?

Na região Norte, o fenômeno causa secas (de moderadas a intensas), enquanto no Nordeste a estiagem atinge diversas intensidades. No Sudeste, o El Niño aumenta a média de temperaturas, principalmente no verão e no inverno. Já nas regiões Centro-Oeste e Sul, o fenômeno causa chuvas acima da média (e, no caso da primeira, temperaturas mais altas).