Os casos de dengue no Brasil continuam aumentando. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira (8), o crescimento foi de 17,5% em 2023 em relação ao ano passado. As ocorrências passaram de 1,3 milhão, em 2022, para 1,6 milhão de casos este ano. Já a taxa de letalidade ficou em 0,07% nos dois anos, totalizando 1.053 mortes confirmadas em 2023 e 999 no ano passado. 

Leia mais

Os estados com maior incidência de dengue são Espírito Santo, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e Goiás. 

Fatores como a variação climática, o aumento das chuvas, o número de pessoas suscetíveis às doenças e a mudança na circulação de sorotipo do vírus são fatores que podem ter contribuído para esse crescimento.

Ministério da Saúde, em nota

Dengue preocupa para 2024

De acordo com o Ministério da Saúde, os casos de dengue devem aumentar ainda mais em 2024 em razão da combinação entre calor e chuva intensos, efeitos do El Niño. Outro agravante é o ressurgimento recente dos sorotipos 3 e 4 do vírus no Brasil. 

publicidade

Com as mudanças climáticas, altas temperaturas e períodos chuvosos, a expectativa é que o número de criadouros aumente. Por esse motivo, é preciso o empenho da sociedade para eliminar os criadouros e evitar água parada. As medidas são simples e podem ser implementadas na rotina. O Ministério da Saúde sugere que a população faça uma inspeção em casa pelo menos uma vez por semana.

Ministério da Saúde, em nota

A pasta ainda anunciou R$ 256 milhões para o fortalecimento da vigilância das arboviroses. Do valor total do investimento, R$ 111,5 milhões serão investidos até o fim deste ano para fortalecer as ações de vigilância e contenção do Aedes aegypti, sendo R$ 39,5 milhões para estados e o Distrito Federal e R$ 72 milhões para municípios. Além disso, haverá repasse de R$ 144,4 milhões para fomentar ações de vigilância em saúde em todo o país.  

Enquanto isso, a Comissão Nacional de Incorporações de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) analisa neste momento a incorporação da vacina Qdenga ao Sistema Único de Saúde (SUS). Nessa quinta-feira (7), o ministério abriu consulta pública sobre o tema. Considerando o cenário epidemiológico, a comissão já recomendou a incorporação do imunizante inicialmente para localidades e públicos prioritários a serem definidos pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). 

Mosquito da dengue sobre a pele de alguém
Mosquito da Dengue (Imagem: Divulgação/Fiocruz)

Chikungunya e Zika

  • Em relação à chikungunya, até dezembro de 2023, foram notificados 145,3 mil casos da doença no país, com taxa de incidência de 71,6 casos por 100 mil habitantes.
  • Em comparação com o mesmo período de 2022, quando foram notificados 264,3 mil casos (123,9 casos por 100 mil habitantes), a redução foi de 42,2%.
  • Este ano, foram confirmados ainda 100 óbitos provocados pela doença.
  • As maiores incidências estão em Minas Gerais, no Tocantins e Espírito Santo. 
  • Já os dados de zika foram coletados até o fim de abril de 2023.
  • Ao todo, foram notificados 7,2 mil casos da doença, com taxa de incidência de 3,6 casos por 100 mil habitantes.
  • Houve aumento de 289% em relação ao mesmo período de 2022, quando 1,6 mil ocorrências da doença foram notificadas.
  • Até o momento, há registro de um óbito por zika em investigação.  
  • As informações são da Agência Brasil.