Na terça-feira (9), o Walmart apresentou, na CES 2024, duas novas ferramentas abastecidas com inteligência artificial (IA) para ajudar seus clientes a buscar rapidamente por produtos e automatizar os processo de reordenar itens frequentemente ordenados.

A primeira delas é uma ferramenta de busca com IA generativa, desenvolvida a partir de combinação dos modelos de IA da Microsoft com os dados de compradores da varejista. Ela permite aos consumidores que busquem por produtos por meio de casos de uso específicos ao invés de nomes de marcas ou de itens.

Leia mais:

Como funciona o recurso

  • Isso significa que o consumidor poderá pesquisar por termos, como “festa de assistir futebol”, ou, ainda, “me ajude a planejar uma festa temática de unicórnios para minha filha”;
  • A partir daí, o novo motor de busca do Walmart vai trazer para o usuário lista selecionada de produtos, ao invés de buscar individualmente por salgadinhos, asas e balões, por exemplo;
  • O recurso, por enquanto, está disponível para usuários iOS, mas será liberado mais adiante em 2024 no site web e para Android.

Segunda ferramenta

Outra ferramenta construída a partir da IA é a Wallmart InHome Replenishment, que vai auxiliar os consumidores que usam o serviço de entrega InHome por assinatura da varejista para preencher de forma rápida carrinhos de compras on-lie com itens frequentemente solicitados.

publicidade

Corrida pela IA generativa também no varejo

Assim como fabricantes de carros e aparelhos, exemplifica a Reuters, as varejistas estão correndo para encontrar usos para a IA generativa e seus consumidores.

Um exemplo é a Amazon, rival do Walmart, que implantou ferramentas com IA generativa para auxiliar anunciantes a melhorar seus alvos de propaganda e permitir aos comerciantes a rapidamente criar promoções.

Voltando ao Walmart, a companhia também anunciou na CES 2024, no mesmo dia, a ampliação da disponibilidade de uma ferramenta interna de IA chamada My Assistant, desenvolvida para funcionários dispostos em 11 países.

Ainda, lançou serviço habilitado para IA e visão computacional que dispensa a análise pelos funcionários das lojas Sam’s Club dos recibos de venda detidos por compradores.

Hoje em dia, a tecnologia está em teste em dez lojas. Ela usa combinação de câmeras e tecnologia de processamento de IA na saída de cada loja para captar imagens dos carrinhos e verificar o pagamento de todos os itens nele contidos.

O Walmart indicou que espera que a tecnologia seja rapidamente levada para cerca de 600 lojas até o fim deste ano, após consumidores classificarem os tempos de espera para deixar a loja como “ponto problemático”.

No Brasil, a prática de conferência da nota fiscal e dos itens presentes no carrinho de compras é adotada em muitas varejistas, inclusive em atacados.