A Apple planeja alterar a App Store como resposta à Lei de Mercados Digitais da União Europeia (UE), que exige adequação até 7 de março. A ideia é dividir a loja em duas versões distintas.

A primeira será de acordo com a legislação da UE, permitindo a existência de lojas de aplicativos de terceiros e sistemas de pagamento alternativos. Já a segunda versão seguirá o formato atual e atenderá não só aos Estados Unidos, mas também outras regiões, segundo o MacRumors.

publicidade

Leia mais:

A Lei de Mercados Digitais está em vigor desde o ano passado e tem como objetivo principal promover a concorrência justa e a liberdade de escolha do consumidor em empresas de tecnologia de grande porte. A decisão da Apple de adaptar a App Store vem após o encontro entre o CEO da empresa da maçã, Tim Cook, e a chefe antitruste da UE, Margrethe Vestager.

publicidade

Durante a reunião, Vestager destacou a necessidade de a empresa se adequar aos requisitos do DMA. As mudanças previstas incluem permitir a instalação de aplicativos por vias alternativas e o uso de sistemas de pagamento alternativos pelos desenvolvedores.

Discussões

  • A Apple já está em discussões com as autoridades da UE há algum tempo, especialmente no que diz respeito à classificação de seus serviços e às diferentes App Stores do grupo;
  • Recentemente, a empresa contestou decisão da UE que considera todas as App Stores como único serviço e entrou com recurso no Tribunal Geral da UE;
  • A empresa busca esclarecer as diferenças entre suas lojas e como elas operam, ressaltando a importância de manter a autonomia e o controle sobre suas plataformas.