Uma iniciativa interessante se apresenta como possível solução para o setor da segurança cibernética. Enquanto estimativas recentes dão conta de que o Brasil pode ter até 330 mil vagas não preenchidas nesse ramo, um projeto da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa está sendo lançado para atender essa demanda: um curso on-line voltado para formar “hackers”, o Hackers do Bem. As informações são do portal G1.

Um “hacker” não é necessariamente um criminoso virtual

Hacker é o nome dado aos especialistas de segurança digital. Portanto, se encaixam nessa definição aqueles que possuem conhecimento de informática suficiente para desvendar o funcionamento de redes, programas e sistemas de computadores de empresas. A Hackers do Bem tem o intuito de treinar e preparar pessoas que possam encontrar falhas nos sistemas de segurança cibernética das empresas.

Leia mais:

As vagas para o curso “Hackers do Bem ainda estão abertas, e do ponto de vista de quem treina aqueles que se inscreveram, a satisfação em ver a evolução dos alunos é visível.

publicidade

Eu acho que você encontrar profissionais realmente especialistas ainda no nosso mercado é difícil. Eu falo que é muito mais fácil a gente encontrar uma pessoa leal dedicada e você ensiná-la, porque é a garantia que você vai ter dessa pessoa evoluir.

Eduardo Lopes, diretor-executivo da Redbelt Security, para o G1.

Mais sobre o “Hackers do Bem”:

  • É voltado para estudantes do ensino médio;
  • Terá duração de um ano;
  • O curso começa no dia 22 de janeiro;
  • Será on-line, aberto e de graça;
  • Cerca de 50 mil estudantes já estão inscritos.

Sua impressão digital pode não ser única, diz IA

Nossa impressão digital é única. Até onde sabíamos, não foram encontradas duas pessoas no mundo que tivessem sequer o mesmo padrão de digital, nem gêmeos idênticos. No entanto, um novo estudo usou IA para analisar milhares de impressão digitais e descobriu que, na verdade, existem, sim, padrões em comum entre elas. Saiba mais sobre esse tema aqui.