Um terremoto de magnitude 7,1 foi registrada nesta terça-feira (23) na área de fronteira entre a China e o Quirguistão. Segundo os balanços mais recentes das autoridades chinesas, pelo menos três pessoas morreram e dezenas ficaram feridas.

Leia mais

publicidade

Dezenas de tremores secundários

Equipes de emergência ainda trabalham para retirar algumas pessoas dos escombros.

O abalo sísmico foi registrado a uma profundidade de 22 km. De acordo com a Administração de Terremotos da China, o epicentro foi uma área montanhosa da fronteira chinesa com o Quirguistão, no condado de Wushi, que fica na região de Xinjiang.

publicidade

O terremoto foi seguido por outros 40 tremores secundários. O mais forte deles com 5,3 de magnitude.

Centenas de casas foram parcial ou totalmente destruídas. Além disso, os serviços de trens foram suspensos na região mais afetada.

publicidade

A área é povoada principalmente por uigures, uma etnia predominantemente muçulmana e que, segundo denúncias do Ocidente, são alvo de perseguição do governo chinês. A região é fortemente militarizada e soldados estão atuando para limpar os escombros e montar tendas para os deslocados.

Além da destruição causada pelo terremoto, o frio extremo prejudica os habitantes da região. Nos últimos dias, as temperaturas chegaram aos -18ºC. As informações são da Phys.org.

Situação nos países vizinhos

  • Outros países também foram atingidos pelo terremoto.
  • É o caso do vizinho Cazaquistão, onde o Ministério de Emergências relatou que 44 pessoas ficaram feridas.
  • Segundo as autoridades do país, não houve grandes danos, mas parte da população da cidade de Almaty, a maior do país, deixou suas casas após o tremor.
  • Tremores secundários também foram sentidos no Uzbequistão.
  • Não há informações de feridos no país.