A inteligência artificial está mudando todos os campos da vida humana, desde tarefas repetitivas e corriqueiras até a saúde. A IA também está presente no setor de logística e entregas e quer se unir a outras tecnologias, como drones e robôs autônomos, para diminuir o tempo de entregas de mercadorias, facilitar o estacionamento dos entregadores, otimizar as rotas dos caminhões e até deixar os motoristas mais seguros.

O The Wall Street Journal reuniu algumas iniciativas de IA em andamento para melhorar os serviços de entrega.

Leia mais:

Do armazém até a porta de casa

Segundo o site, uma das partes mais caras do serviço de entrega é o trajeto do armazém até a casa dos clientes. Uma forma simples de contornar isso é o uso de drones. Empresas como Amazon e Walmart são alguns exemplos que já aderem à alternativa.

publicidade

Já outras, como a Wing, da Alphabet (mesma controladora do Google), aderiram também ao uso de IA nos drones. A ideia é não só levar um pacote até a porta de casa, mas permitir que os próprios dispositivos decidam qual a melhor forma de fazê-lo. Por exemplo, a tecnologia ajuda a decidir se é mais seguro deixar um pacote na porta de casa ou a frente de uma garagem.

Por enquanto, a Wing está usando a novidade para entregar medicamentos e bebidas com urgência, com um tempo médio de 30 minutos. Inclusive, já se uniu ao Walmart para entregas na região de metropolitana de Dallas-Fort Worth, no Texas.

Outro processo custoso é levar o pacote até a porta de casa. Segundo uma pesquisa do Laboratório de Frete Urbano da Universidade de Washington, essa etapa é responsável por 20% a 50% dos gastos. Para contornar isso, a Vault Robotics projeta um robô com uma combinação de pernas e rodas capaz de subir guias de calçadas e escadas e chegar até a porta dos clientes. Além disso, ele tem alças laterais para segurar as encomendas.

Segundo o CEO e cofundador, Robert Shi, a intenção é que os robôs desçam de vans em movimento (eliminando o tempo de parada), entreguem as mercadorias e retornem o veículo para repetir a ação.

Robô da Vault Robotics sobe escadas para entregar pacotes na porta de casa (Foto: Reprodução/Vault Robotics)

Otimizando entregas com IA

  • Ao contrário dos drones e robôs, que eliminam a necessidade de alguma atividade por parte dos humanos, uma IA para estacionamentos funciona em conjunto com o entregador. Isso porque, segundo Giacomo Dalla Chiara, pesquisador chefe do Urban Freight Lab, 28% do tempo dos motoristas entregadores é gasto procurando vagas.
  • Algumas IAs ao redor do mundo já planejam implementar tecnologias preditivas para facilitar o estacionamento. Um exemplo é a da Universidade de Hangzhou, na China, que usa conjuntos de dados de movimento urbano para prever os melhores momentos e locais para se estacionar. O Olhar Digital detalhou a tecnologia aqui.
  • Já um projeto do Departamento de Energia dos Estados Unidos implementou sensores nas guias de um bairro em Seattle e transmitiu em tempo real informações sobre vagas.
  • Outro exemplo de apoio ao motorista são IAs voltadas para otimização de rotas de entrega. Um projeto do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) quer ajudá-los a escolher rotas melhores, algo que não só inclui o tempo de direção, mas também de estacionamento e descarregamento em locais seguros.
Entregas otimizadas usando os sensores de guias da Urban Freight Lab (Foto: Reprodução/Urban Freight Lab)

Segurança dos entregadores

Pesquisadores também querem usar IA para tornar as entregas mais seguras para os funcionários.

Um exemplo é a empresa Virginia Tech Transportation Institute, que usou a tecnologia em frotas da Motive para alertar os entregadores sobre comportamentos arriscados, como sono ao volante, através de monitoramento das expressões faciais.

A Motive também usa a tecnologia para alertar sobre pontos cegos, como laterais de caminhões, e evitar acidentes de trânsito.