A Sierra Space explodiu propositalmente o seu primeiro protótipo em escala real de um módulo de estação espacial recentemente. O teste faz parte dos preparativos para as futuras missões espaciais que podem acontecer já a partir de 2030, de acordo com comunicado da empresa do dia 22 de janeiro.

Para quem tem pressa:

  • A explosão faz parte dos testes realizados nos módulos que serão utilizados na Estação Espacial Reef;
  • Os requisitos de segurança da NASA orientam que eles devem resistir a uma certa pressão, e o módulo que parece um balão o superou;
  • O módulo pode ser lançado em pequenos foguetes e poucas unidades podem superar em volume a Estação Espacial Internacional.

A empresa espacial privada já havia feito diversos testes explosivos com equipamentos nas alturas a partir do Marshall Space Center da NASA, no entanto, eles eram realizados em protótipos menores em escala. Os testes do habitat Grande Ambiente Flexível Integrado (LIFE) consistem em inflar o módulo semelhante a um balão até que ele exploda.

Agora, a Sierra Space realizou um teste em um modelo em escala real, que foi o equivalente a 164 bananas de dinamite explodindo. Os requisitos de segurança da NASA orientam que ele deve resistir a uma pressão de 60,8 libras por polegada quadrada (psi), no teste em escala real, o protótipo resistiu a 77 psi, 27% acima dos requisitos da agência.

Leia mais:

publicidade

O módulo inflável

O módulo inflável da empresa usa tecnologias de produtos leves da ILC  Dover, como as tiras Vectran, e possui cerca de 8,3 metros de diâmetro por 6,2 de altura, com toda área interior podendo ser utilizada devido ao ambiente de microgravidade. Em comunicado, Tom Vice, CEO da Sierra Space apontou que o módulo espacial pode ser transportado em um foguete de apenas 5 metros, além de ser muito leve. Ademais, apenas três módulos do LIFE podem superar em tamanho a Estação Espacial Internacional (ISS), e existem modelos maiores. Um projeto de módulo que possui cerca de 1400 metros cúbicos poderia superar a ISS num único lançamento.

Estamos impulsionando a reinvenção da estação espacial que moldará uma nova era de exploração e descoberta da humanidade.

Tom Vice

O LIFE será utilizado na Estação Reef, liderada pela Sierra Space e pela Blue Origin, e faz parte dos conceitos que a NASA financiou para substituir a Estação Espacial Internacional depois que suas operações forem encerradas em 2030. Agora, a Sierra Space pretende continuar seus testes de explosão e testar como o módulo inflável se comporta contra micrometeoritos, embora existam dúvidas se ela poderá realmente substituir a ISS em apenas 6 anos.