A SAP, uma das líderes mundiais de desenvolvimento de softwares de negócios, anunciou um programa de reestruturação que deverá incluir a inteligência artificial (IA) em diversas funções, foco das empresas em 2024. Segundo relatado pela Reuters, o plano é apostar no crescimento de áreas a partir da nova tecnologia, o que deve impulsionar a automação, afetando até oito mil posições na empresa.

O que você precisa saber: 

  • O projeto de restruturação de funções para IA custará a SAP US$ 2,2 milhões; 
  • O programa também abrange a requalificação de funcionários em IA e a substituição dos que optarem pelo despedimento voluntário (pedido de demissão); 
  • De acordo com Jürgen Molnar, investidor da corretora RoboMarkets, o projeto parece ser mais uma questão estrategista de RH que de custos. “Mesmo que alguns funcionários caiam no esquecimento, é provável que surjam novas oportunidades”; 
  • Sem mencionar planos de cortes, a SAP disse que espera terminar 2024 com um número de funcionários semelhante aos níveis atuais; 
  • A empresa foi uma das primeiras a implementar a IA Generativa em seus produtos, em especial o ChatGPT; 
  • Ela também se comprometeu a apoiar startups de tecnologia alimentadas por IA através do seu braço de investimento Sapphire Ventures; 
  • As ações da SAP saltaram 7% após anúncio de investimento em IA e previsão de crescimento da companhia. 

Leia mais! 

Os ajustes certos estão sendo feitos e a empresa está sendo reorganizada para prepará-la para a era da inteligência artificial. 

Jürgen Molnar, estrategista de investimentos da corretora RoboMarkets, à Reuters. 

Em anúncio separado, a SAP divulgou ainda que prevê um crescimento de 24% a 27% na receita de seu principal negócio de nuvem em 2024. As novas metas vêm depois que os números de 2023 superaram a previsão de analistas. Seu lucro operacional também deve progredir, aumentando entre 17% e 21%. 

publicidade

Demissões 2024 

Enquanto a SAP investe sutilmente na reestruturação de funções sem fazer alarde sobre possíveis demissões, o Google, Amazon, Meta e outras empresas continuam a tendência de cortes em massa, reforçando que o setor tech ainda está em crise. 

Após um 2023 que focou na redução de custos com foco na eficiência, 2024 deve apostar na revisão de negócios, realinhamento de projetos e otimização de funções. Para analistas da Silicon Valley, embora o início deste ano esteja repleto de cortes de pessoal, as demissões deverão ser bem menores, e mais direcionadas.