A adoção de veículos elétricos não tem sido acompanhada pela infraestrutura de carregamento rápido em Nova York. Pelo menos, é o que dezenas de carros enfileirados em um posto de carregamento Supercharger, da Tesla, mostram.

Relatos de usuários no X (antigo Twitter) e a apuração do site InsideEVs, que esteve em uma das estações de carregamento da cidade em um dia comum, revelaram uma longa fila de EVs esperando para serem carregados. O tempo de espera superou uma hora.

Leia mais:

Infraestrutura para carros elétricos em Nova York

Na tarde do dia 17 de janeiro, o usuário do X @giorgi010 fez um pedido de socorro a Elon Musk, CEO da Tesla. Uma das imagens que acompanha a mensagem de “SOS” mostrava uma fila de modelos elétricos esperando para entrar em uma estação de carregamento Supercharger.

publicidade

A foto foi tirada em Brooklyn, em Nova York. O usuário escreveu que “10 mil pessoas compraram carros Tesla e agora é impossível recarregá-los”.

Um repórter do InsideEVs compareceu ao local e comprovou: dezenas de modelos estavam enfileirados esperando para entrar na estação, que fica no estacionamento de uma loja de móveis chamada Raymour and Flanigan, rodeado por um Starbucks, um centro veterinário e diversas oficinas.

A estação contava com 12 carregadores Supercharger da Tesla e quatro barracadas da empresa EVgo, de carregamento rápido. A tela das quatro exibia a mensagem “fora de serviço”.

Situação não é nova

O excesso de carros em estações de carregamento não é exatamente novidade, uma vez que o desenvolvimento de infraestrutura tem sido mais lento do que a adoção aos veículos elétricos. No entanto, em Nova York isso acontece com uma frequência alarmante.

Bezgod Hoja, um motorista da Uber que esperava na fila, revelou que dirige uma hora para chegar à estação de carregamento mais próxima e que espera mais uma hora para chegar sua vez e carregar a bateria até 80%.

Outra entrevistada, uma motorista de Uber chamada Ellie Simpson, dona de um Tesla Model Y Performance, afirmou que perde uma hora e meia para recarregar o carro e, no tempo que está na fila, não está ganhando dinheiro para sustentar os três filhos. Ela lembrou que outras estações cobram taxas de estacionam ou pré-autorizações de US$ 40 – algo inviável para desembolsar ao início do dia.

Três carros da Tesla sendo carregados
(Crédito: Tesla/Divulgação)

Incentivos de Nova York a elétricos

Os entrevistados mencionaram iniciativas de Nova York para incentivar a adoção de elétricos – e revelaram sua insatisfação com a falta de infraestrutura para dar conta. Veja algumas das ações:

  • No ano passado, a cidade impôs que veículos alugados para serviços deveriam ser elétricos. O objetivo era aumentar a frota limpa e reduzir a dependência.
  • O problema é que os motoristas aderiram à ideia, com a cidade liberando mais de 4.700 licenças para proprietários e empresas de transporte compartilhado dirigirem elétricos.
  • Além disso, ofereceu incentivos federais para a compra, registro de placas e seguradoras.
  • A infraestrutura de carregamento passou a não suportar a nova demanda.
GM anuncia rede de carregamento rápido para veículos elétricos que vai cobrir os EUA de costa a costa
Imagem: Phonlamai Photo/Shutterstock

Hoja contou que a estação Supercharger da Tesla foi instalada em março de 2023, mas só começou a funcionar no final do ano. Ele ainda disse que isso aconteceu porque o licenciamento das unidades por Nova York demorou.

Já Simpson revelou que planeja enviar uma carta a Uber, relatando que os incentivos oferecidos para dirigir um elétrico não compensar o tempo de carregamento perdido.

Tesla e Uber

As montadoras e empresas de serviços parecem estar cientes da situação. Na semana passada, a Uber revelou ao site Axios que se juntou a Tesla para compartilhar dados sobre rotas populares dos elétricos, que ajudariam a decidir onde instalar estações de carregamento.

Andrew Macdonald, vice-presidente sênior de mobilidade e operações de negócios no Uber, ainda afirmou que o “acesso ao carregamento conveniente” é uma das barreiras que impedem a adoção dos elétricos.

Já para um motorista de um Model Y que estava na estação em Brooklyn, a culpa não é da Tesla, mas da cidade e do estado de Nova York que não estão acelerando o desenvolvimento de infraestrutura.