Um conjunto de desenhos atribuídos à pintora Tarsila do Amaral (1886-1973) apareceu num site de NFTs – arte digital com certificado de autenticidade. O problema é que as obras, pertencentes ao tradutor Alípio Neto, são alvo de um processo na Justiça justamente para terem sua autenticidade reconhecida.

Para quem tem pressa:

  • Uma coleção de desenhos atribuídos à pintora brasileira Tarsila do Amaral foi lançada como NFT – arte digital com certificado de autenticidade. No entanto, essas obras, pertencentes ao tradutor Alípio Neto, estão atualmente no centro de uma disputa judicial para confirmar sua autenticidade;
  • A sobrinha-neta e herdeira de Tarsila, conhecida como Tarsilinha, não reconhece a autenticidade das obras. No entanto, outros herdeiros da artista aprovaram a produção dos NFTs, o que indiretamente autenticou os desenhos;
  • As obras, da década de 1920, apresentam paisagens do litoral brasileiro. Elas foram digitalizadas pela empresa sueca Zeitls e estão sendo vendidos por 0,3 ETH cada (aproximadamente R$ 3,3 mil);
  • Apesar das dúvidas sobre a autenticidade dos desenhos, tanto o advogado de Alípio Neto quanto a empresa Zeitls defendem a originalidade das obras.

A sobrinha-neta e herdeira da artista, conhecida como Tarsilinha, não reconhece a autenticidade das obras. Porém, outros dois herdeiros autorizaram a produção das NFTs. E isso autenticou, de maneira indireta, os desenhos.

Leia mais:

Este é mais um capítulo na polêmica envolvendo Tarsila do Amaral. O tradutor quer que os desenhos tenham autoria confirmada e entrem no catálogo oficial da obra da artista, cuja última edição é de 2008. No entanto, além do nó com Tarsilinha, a comissão de especialistas em obras da artista não aprovou a autenticidade do material de forma unânime.

publicidade

NFTs de Tarsila

Captura de tela de site de NFT com obras de Tarsila do Amaral
(Imagem: Reprodução)

Os desenhos em questão, datados da década de 1920, retratam paisagens do litoral brasileiro. A empresa sueca Zeitls digitalizou as obras, comercializadas por 0,3 ETH cada – aproximadamente R$ 3,3 mil. Paola Montenegro, sobrinha-bisneta de Tarsila e responsável pelos direitos autorais da artista, está envolvida no projeto.

Paulo Montenegro, um dos herdeiros de Tarsila, expressou incerteza quanto à autenticidade dos desenhos, após negar ser um especialista. Mesmo assim, ele e outro herdeiro assinaram um documento sobre a produção dos NFTs, nos quais os desenhos são apresentados como originais de Tarsila.

Mario Solimene Filho, advogado de Alípio Neto, argumenta que os NFTs e a autorização da família de Tarsila são evidências significativas da autenticidade das obras. Daniela Zschaber, da Zeitls, afirma que a empresa tem certeza da originalidade das obras e tem como objetivo promover a arte brasileira no exterior. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.