Um novo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta para um crescimento de 77% nos casos detectados de câncer até o ano de 2050. Isso representará um salto dos atuais 20 milhões de episódios, registrados em 2022, para até 35 milhões.

Os números foram divulgados nesta quinta-feira (1) pela Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC, na sigla em Inglês), um braço da OMS.

Leia mais

De acordo com a entidade, esse avanço “reflete tanto o envelhecimento e o crescimento da população, como as alterações na exposição das pessoas a fatores de risco”.

publicidade

E quais são esses fatores de risco listados pela organização?

A OMS afirma que os 4 são considerados “fatores-chave por trás do aumento da incidência do câncer”.

Os dados mais recentes fazem referência a 2022. Como já informamos, foram registrados no período 22 milhões de novos casos no ano, além de 9,7 milhões de mortes ocorridas por causa da doença.

O número de pacientes vivos nos cinco anos seguintes a um diagnóstico foi de 53,5 milhões no período.

Marcas da desigualdade

  • A IARC afirma que o maior aumento, proporcionalmente falando, será registrado nos países pobres.
  • Nessas nações com o chamado Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo, a perspectiva é de um crescimento de até 142% dos casos de câncer nas próximas décadas.
  • Já os países considerados de faixa média do IDH verão um aumento de 99%.
  • Essa desigualdade é vista mais claramente quando o assunto é o câncer de mama – esse foi o exemplo usado pela OMS.
  • De acordo com a organização, em países com o IDH elevado, 1 em cada 12 mulheres será diagnosticada com a doença durante sua vida e 1 em 71 morrerá de câncer de mama.
  • Já nos países com IDH baixo, apenas uma em cada 27 mulheres será diagnosticada com a doença durante a vida (há, portanto, subnotificação).
  • Por outro lado, uma em cada 48 morrerá em decorrência dela – um número muito maior do que o 1 em 71 dos países ricos.

Os tipos mais comuns

Existem mais de 100 tipos de câncer, que correspondem aos vários tipos de células presentes no corpo humano. Segundo a OMS, porém, 10 deles respondem pela imensa maioria dos casos: cerca de dois terços de todos os registros e mortes em todo o mundo.

A lista é a seguinte:

1) Câncer de pulmão – 2,5 milhões de novos casos em 2022 – 12,4% do total.

2) Câncer de mama feminino – 2,3 milhões de casos – 11,6% do total

3) Câncer colorretal – 1,9 milhões de casos – 9,6%

4) Câncer de próstata – 1,5 milhões de casos – 7,3%

5) Câncer de estômago – 970 mil novos casos – 4,9% do total.

  • A doença no pulmão também foi a principal causa de morte: 1,8 milhão, 18,7% do total.
  • Em seguida, veio o câncer colorretal (900 mil mortes, 9,3%).
  • O câncer de fígado aparece na sequência, com 760 mil mortes, 7,8% do total.
  • Fecham esse pódio fúnebre o câncer de mama (670 mil mortes, 6,9%) e o câncer de estômago (660 mil mortes, 6,8%).

Como podemos ver o líder dessas estatísticas está relacionado ao tabagismo. Daí o alerta feito pela OMS no começo deste texto.

As informações são do site MedicalXpress.