Centenas de turistas procuraram atendimento médico depois de se banharem no mar da praia de Carro Quebrado, em Barra de Santo Antônio, município turístico do litoral norte de Alagoas. A suspeita é de uma “maré vermelha”, um fenômeno provocado pelo crescimento excessivo de algas e que fez as pessoas passarem mal.

Leia mais:

O que aconteceu

Conforme reportado pelo Uol na quinta-feira (01), ao menos 215 pessoas procuraram atendimento médico em Barra de Santo Antônio e Paripueira após se banharem no mar da praia alagoense, uma das mais famosas da região. Boa parte eram turistas.

O fenômeno também acendeu o alerta em Pernambuco nesta semana. O Olhar Digital reportou aqui.

publicidade

Maré vermelha

O Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Alagoas visitou a praia e recomendou que as pessoas evitem entrar em partes do mar com cor e odor diferentes.

A principal suspeita é de uma “maré vermelha”. Veja o que eles explicaram sobre o fenômeno:

  • A maré vermelha caracteriza-se pelo crescimento excessivo de algas, que podem ou não liberar toxinas.
  • Isso acontece pelo aumento de temperatura e salinidade da água, bem como o excesso de nutrientes ou carga orgânica no mar.
  • O fenômeno pode durar entre 12 e 48 horas e provocar manchas escuras na água. As manchas são fruto do crescimento excessivo de algas microscópicas, que podem ser vermelhas, marrons, laranjas, roxas ou amarelas.
  • Em excesso, essas algas podem provocar a morte de animais marinhos. Isso, por sua vez, pode liberar gases e substâncias que irritam os olhos, pele e pessoas que entrarem em contato.
Agente do IMA coletando água para análise de maré vermelha (Foto: IMA/Reprodução)

Sintomas da maré vermelha

Entre as mais de 200 pessoas afetadas pela maré vermelha, sintomas comuns relatos foram tosse, coriza, dor de garganta, vermelhidão nos olhos e obstrução nasal.

Ainda, o fenômeno pode causar enjoo, irritação, falta de ar, secura nos olhos e diarreia.