Uma boa compra passa necessariamente por uma boa pesquisa. Essa frase deveria estar em algum manual de sobrevivência moderno. Com tantas opções no mercado e com o nosso dinheiro valendo cada vez menos, garimpar é parte quase obrigatória do nosso dia a dia.

Pensando nisso, a Amazon acaba de lançar um novo assistente de compras personalizado. O nome dele é Rufus, um chatbot com Inteligência Artificial generativa, treinado para responder perguntas relacionadas ao catálogo do site.

Leia mais

O Rufus tem na ponta da língua:

publicidade
  • informações sobre os produtos da Amazon;
  • acesso instantâneo às avaliações de clientes;
  • ele pode responder a todas as dúvidas que estão no FAQ, aquelas perguntas frequentes;
  • e também possui algumas informações gerais da web.

Veja um clipe de como ele funciona a seguir:

Por enquanto, o Rufus está disponível apenas em uma versão beta para um conjunto limitado de clientes da Amazon nos Estados Unidos.

De acordo com a empresa, o assistente continuará sendo implementado para clientes americanos “nas próximas semanas”.

Não há informações ainda sobre a chegada em novos mercados – incluindo o Brasil.

Tira várias dúvidas mesmo

A empresa vê o Rufus como o balcão único dos clientes para todas as suas necessidades de compras. Ele pode ser uma espécie de vendedor, mas também aquele amigo que te ajuda nas compras. Pode ser ainda uma resenha na internet que vai fazer com que você desista daquele produto.

O assistente pode responder perguntas como:

  • “O que devo levar em consideração para comprar um tênis de corrida?”;
  • Ou ainda traçar uma comparação “entre tênis de corrida e tênis de trilha”;
  • Ele também pode te dizer se esses calçados duram bastante – isso de acordo com os comentários que já existem na internet.

Segundo a Amazon, o Rufus também pode ser utilizado para dar conselhos mais amplos e ligados a eventos específicos. Por exemplo:

  • Feriadão chegando, estou em casa e quero uma boa dica de leitura. Um suspense policial. O Rufus te traz algumas sugestões.
Imagem: Divulgação/Amazon

Ele também tira dúvidas diretamente na página do produto:

  • Estou procurando uma raquete de beach tênis. Acessei o site da Amazon e escolhi uma opção. Dentro dessa página, aciono o Rufus e indago: “Essa raquete é boa para iniciantes?”.
  • Rufus terá uma resposta – baseada, como já explicamos, em avaliações já existentes na web.

Ainda faltam ajustes

A própria Amazon admite que o assistente precisa de alguns ajustes. Ele ainda não entende algumas perguntas e às vezes dá respostas sem sentido.

Segundo Rajiv Mehta, executivo da marca, esse período de adaptação é normal e é por isso que o Rufus existe apenas em um ambiente de testes – por enquanto.

“Ainda é cedo para a IA generativa e a tecnologia nem sempre acertará. Continuaremos melhorando nossos modelos de IA e ajustando as respostas para tornar o Rufus continuamente mais útil ao longo do tempo. Os clientes são incentivados a deixar comentários classificando suas respostas com polegar para cima ou não, e também têm a opção de fornecer feedback de forma livre”, disse Mehta.

O Rufus deve ser um dos primeiros assistentes inteligentes a atuar no mercado. Outras empresas do ramo devem seguir pelo mesmo caminho.

O Walmart, por exemplo, rival da Amazon, apresentou um recurso semelhante para seus compradores na CES 2024. O Olhar Digital, aliás, acompanhou tudo de perto em Las Vegas. Para mais informações sobre a edição deste ano da maior feira de tecnologia do mundo, basta clicar aqui.

As informações são do Engadget.