Para finalizar uma ação judicial por violação de privacidade de dados, o Google concordou em pagar US$ 350 milhões em um acordo preliminar apresentado no tribunal federal de São Francisco, EUA, após mais de um ano de mediação. Segundo a Reuters, o processo finalmente resolve o conflito da big tech com acionistas do extinto Google+, que sofreu uma falha de segurança e manteve dados de usuários expostos durante três anos. 

O que você precisa saber: 

  • O acordo resolve alegações de que o Google soube, em março de 2018, sobre uma falha de software de três anos que expôs os dados pessoais dos usuários do Google+, mas escondeu o problema durante meses; 
  • Acionistas explicaram, na época, que a empresa temia que a divulgação sujeitasse a companhia a um escrutínio regulatório e público semelhante ao que o Facebook recebeu depois do caso Cambridge Analytica (relembre aqui); 
  • Com a denúncia, no entanto, as ações da Alphabet, controladora do Google, caíram várias vezes à medida que surgiam notícias sobre o bug, consumindo dezenas de bilhões de dólares em valor de mercado, lesando os investidores; 
  • O atual processo cobre investidores da Alphabet de 23 de abril de 2018 a 30 de abril de 2019; 
  • Com usuários, a empresa resolveu o caso em 2020 — ficou determinado que ela pagaria US$ 7,5 milhões por danos e infrações. 

Leia mais! 

Identificamos e corrigimos regularmente problemas de software, divulgamos informações sobre eles e levamos esses problemas a sério. Este assunto diz respeito a um produto que não existe mais e estamos satisfeitos por tê-lo resolvido. 

Jose Castaneda, porta-voz do Google. 

Colecionando processos? 

publicidade

A resolução do processo ocorre enquanto o Google enfrenta outro caso no tribunal, essa bem maior, mais longo e ‘perigoso’: ação antitruste movida pelo Departamento de Justiça (DOJ) em uma coalizão dos EUA contra a empresa. 

Em movimentação mais recente, o juiz federal responsável marcou para 9 de setembro de 2024 o início do julgamento por júri. A empresa é acusada de abusar de sua dominância na tecnologia de publicidade digital.   

Além deste caso, o Google enfrentará ainda julgamento em março de 2025 no Texas, e outro em Washington. Ambos destacam os desafios regulatórios e legais significativos que a big tech enfrenta.