O Opera anunciou nesta quarta-feira, 7 de fevereiro, seus planos de implantar uma nova central de dados de inteligência artificial (IA) em Keflavik, na Islândia. A revelação foi feita com antecedência no evento Opera Browser Days 2024, que aconteceu em Oslo, na Noruega, e o Olhar Digital esteve presente.

Alimentada inteiramente por energia verde, o sistema irá apoiar o crescimento dos navegadores Opera e formar a base de seus futuros serviços de IA. A central de dados de IA do Opera apresenta um NVIDIA DGX SuperPOD e já começará a operar em fevereiro de 2024.

Leia mais:

Desde o início de 2023, o Opera entrou na disputa no espaço de IA para navegadores, colocando a IA no centro do desenvolvimento de seus produtos. Todos os navegadores principais da empresa já possuem recursos de IA nativos, incluindo o Aria Browser AI. A empresa diz acreditar que a IA em breve assumirá um papel além do de um chatbot e ajudará os usuários a realizar tarefas de navegador mais elaboradas, exigindo mais potência de computação de IA.

publicidade

Em entrevista ao Olhar Digital, Krystian Kolondra, vice-presidente executivo de PC/GX & Gaming do Opera, explicou que o objetivo do navegador não é alcançar a inteligência artificial geral (AGI, na sigla em inglês). “Nós somos uma empresa de navegadores, e buscamos a IA para navegadores. E é claro, isso pode ajudar e afetar todos os aspectos do que você faz, mas dentro do navegador. Mas para isso, precisamos nos especializar”, explicou ele.

O cluster de dados na Islândia permitirá ao Opera oferecer novas capacidades personalizadas para seus usuários de navegador, além daquelas construídas sobre as soluções fornecidas pelos parceiros de IA da Opera.

O Opera foi o primeiro navegador a introduzir serviços de IA integrados na primavera de 2023, oferecendo tanto aos usuários de PC quanto aos móveis o benefício de seu assistente de IA generativa, Aria. A Aria está evoluindo rapidamente, e continuamos a expandir suas capacidades como companheira de navegação para nossos usuários. A Islândia complementará nossa infraestrutura existente em todo o mundo como um hub verde, eficiente em custos e centralizado para tarefas intensivas em computação, garantindo que o Opera tenha a infraestrutura necessária para aproveitar as oportunidades que vemos e permitindo que nossa empresa evolua e expanda rapidamente seus serviços de IA.

Krystian Zubel, VP de TI do Grupo na Opera, em comunicado

Data center do Opera na Islândia

  • A central de dados foi projetada para ter o menor impacto possível no meio ambiente.
  • Localizada na Islândia, ela depende de energia hidrelétrica e geotérmica para energia e ar fresco islandês para resfriamento.
  • A nova central é um NVIDIA DGX SuperPOD, equipado com os mais novos GPUs NVIDIA H100 Tensor Core e a plataforma de software NVIDIA AI Enterprise, que simplifica o desenvolvimento e implantação de aplicativos de IA em nível de produção.
  • O sistema de pilha completa funcionará como uma única central de dados de IA servindo às cargas de trabalho de IA do Opera.
  • Os GPUs NVIDIA H100 de última geração permitem quatro vezes mais rápido treinamento de IA e 30 vezes inferência mais rápida em grandes modelos de linguagem em comparação com a geração anterior do GPU.

As organizações que modernizam seus negócios com IA exigem uma infraestrutura poderosa para desenvolver grandes modelos de linguagem e permitir aplicativos de IA generativa. O NVIDIA DGX SuperPOD com GPUs NVIDIA H100 fornece ao Opera capacidades avançadas de supercomputação de IA, ajudando os desenvolvedores a criar novos recursos para trazer experiências de IA generativa ao alcance dos usuários.

Carlo Ruiz, Diretor de Soluções e Operações de Centro de Dados de IA da NVIDIA para a região EMEA, em comunicado