O Dia da Internet Segura, criado pela rede europeia Insafe, também abarca esta quarta-feira (07). A iniciativa incentiva o uso consciente e responsável da web. Pensando nisso, o Google publicou seis dicas de experts em cibersegurança em seu blog.

Leia mais:

A lista explora erros comuns entre usuários – desde usar a mesma senha em diversos logins até não configurar recuperação de acessos. As dicas são dos gerentes de produto Sriram Karra e Christiaan Brand, ambos especializados em segurança no Google.

Dicas de cibersegurança by Google

Ilustração de cibersegurança do Google
(Imagem: Google)
  1. Usar a mesma senha em todos os lugares

Reutilizar senhas é um dos hábitos de cibersegurança mais comuns que todos devemos abandonar, diz Sriram Karra. Isso porque esse hábito aparentemente inocente pode criar um perigoso efeito dominó. Por exemplo: se você usa sua senha do Gmail em outra plataforma vítima de vazamento de dados, sua Conta Google também ficaria vulnerável.

publicidade

O que fazer: Nunca reutilize senhas. Em vez disso, use algum gerenciador de senhas (por exemplo: da Apple, em iPhones; ou do Google, para celulares Android). O objetivo desses gerenciadores é facilitar a geração e o acompanhamento de credenciais de login únicas. Em relação à Conta Google, também dá para adicionar chaves de acesso (passkeys), modo seguro e simples de login por meio de biometria ou PIN do seu dispositivo.

  1. Negligenciar atualizações de software

Pode ser tentador ignorar aqueles lembretes de atualização de software, mas os especialistas do Google aconselham não fazer isso. “Permitir atualizações regulares de software é na verdade a segunda prática de segurança mais crucial depois de usar um gerenciador de senhas”, diz Christiaan Brand. Adiar essas atualizações deixa seus dispositivos, dados e privacidade em risco.

O que fazer: Priorizar atualizações de software em tempo hábil. Atualize regularmente o software de seus dispositivos para ter as últimas correções de segurança e proteções. Plataformas como Android e iOS fornecem a maioria das atualizações de sistema e segurança automaticamente. É um mecanismo de defesa proativo que funciona sem que você tenha que fazer nada.

  1. Desconsiderar verificação em duas etapas

Outro erro crucial de segurança online é negligenciar a verificação em duas etapas, recurso de segurança que adiciona uma etapa durante o login para ajudar a prevenir que alguém acesse sua conta sem a sua permissão. “Adicionar uma segunda etapa de verificação pode reduzir muitos tipos de ataques, incluindo 100% dos ataques automatizados por bots”, diz Sriram.

O que fazer: Ative a verificação em duas etapas. Uma vez ativado, esse tipo de verificação envia prompts para seu celular para permitir tentativas de login. Ela adiciona uma camada extra de proteção, tornando o acesso não autorizado à sua conta uma façanha significativamente mais desafiadora. É como ter uma segunda fechadura na sua porta digital.

vpn
(Imagem: Rawpixel/Shutterstock)
  1. Não configurar bloqueio de tela

“Pode parecer um incômodo, mas configurar um bloqueio de tela no seu dispositivo, mesmo que pareça desnecessário, é crucial para proteger seus dados”, diz Christiaan. Este simples passo protege suas informações de acessos não autorizados e acionamentos acidentais.

O que fazer: Escolha uma opção de bloqueio de tela forte, como uma senha complexa ou autenticação biométrica, que usa reconhecimento de impressão digital ou facial. Hoje em dia, os celulares da Apple e Android oferecem pelo menos uma dessas opções de bloqueio.

  1. Clicar em links suspeitos

Cibercriminosos frequentemente disfarçam links maliciosos como legítimos. “É difícil aconselhar a nunca clicar em coisas ou só clicar em links de remetentes confiáveis”, reconhece Christiaan, porque links maliciosos podem vir na forma de e-mails que parecem legítimos e postagens aparentemente inofensivas nas redes sociais. Mas se você não for cuidadoso, todos esses podem ser portais para malware e roubo de dados.

O que fazer: Mantenha-se vigilante. Desconfie de qualquer link em que clicar, mesmo aqueles que parecem legítimos. Para uma camada extra de proteção, certifique-se de ativar algum recurso semelhante a “navegação segura” no seu navegador. Esse tipo de funcionalidade identifica e alerta contra sites conhecidos por phishing e malware. É como ter um segurança online cuidando da sua retaguarda enquanto você navega.

  1. Não ter plano de recuperação de senha

Esquecer sua senha ou perder seu celular – parte crucial de um sistema de autenticação em dois fatores – pode acontecer com qualquer um. “Essas são ocorrências normais, e [o Google] tem Recuperação de Conta automática robusta para lidar com elas”, diz Sriram. Mas se você não configurou um plano de recuperação antes dessas ocorrências, pode ficar sem acesso à sua conta por um longo tempo.

O que fazer: Crie um plano de recuperação antes de precisar dele, assim quando chegar a hora seu acesso não será bloqueado. Você pode adicionar um endereço de e-mail ou número de telefone de recuperação para que o Google possa contatá-lo se você acabar bloqueado. Certifique-se de configurar sua conta com informações de verificação suficientes para garantir que ela esteja atualizada para um processo de recuperação sem solavancos.