O bagaço da cana-de-açúcar é o resíduo que sobra do processo de moagem da planta. Esses resquícios de caule, antigamente, não tinham utilidade e eram descartados. Porém, atualmente existem diferentes destinos para ele.

A University of East London, em parceria com a empresa britânica Tate & Lyle Sugars, descobriu um novo uso para o material na área da construção. As organizações desenvolveram um tijolo mais econômico e sustentável feito com o bagaço da cana, o qual, inclusive, ganhou o Climate Positive Award.

Como é feito?

O material de construção, chamado de Sugarcrete, une o bagaço da cana-de-açúcar com ligantes de base mineral. Essa combinação é compactada e submetida a um processo de cura – solidificação de um material – que resulta em blocos de alta resistência. O produto final pode substituir os tradicionais tijolos feitos de argila ou concreto.

Imagem: University of East London

Leia mais:

publicidade

Vantagens do tijolo de cana

  • Os blocos Sugarcrete levam apenas uma semana para curar em comparação com o concreto convencional, que leva quatro semanas.
  • Pesam apenas um quarto a um quinto dos blocos de concreto de tamanho semelhante.
  • São mais baratos de produzir, principalmente em regiões onde a cana-de-açúcar é cultivada. Os agricultores podem vender o bagaço de cana a empresas, criando uma economia circular.
  • O processo de produção gera uma pegada de carbono muito menor em comparação com o concreto convencional.
  • E por último, utiliza até 90% menos aço em comparação com o concreto convencional. Isso resulta em estruturas mais leves e menos propensas a rachaduras, além de reduzir a quantidade de recursos naturais utilizados na construção.

Climate Positive Award

O Sugarcrete foi selecionado como vencedor da categoria de economia circular do Climate Positive Award pelo grupo ambientalista Green Cross UK, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas do ano passado. A premiação reconhece iniciativas que realizam ações para evitar ou preparar-se para as mudanças climáticas. Essa categoria, em especial, tem como foco os projetos que diminuem resíduos reutilizando materiais.

O próximo passo que a equipe do Sugarcrete pretende tomar é buscar parcerias com agricultores em países do Sul Global para a comercialização dos tijolos de cana.