De toda energia gerada no Brasil em 2023, 93,1% vieram de fontes renováveis. O novo recorde foi divulgado nesta sexta-feira pelo CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica).

  • Combinando usinas hidrelétricas, eólicas, solares e de biomassa, foram gerados 70,2 mil megawatts médios (MWm)
  • Mais da metade da energia gerada no último ano veio das hidrelétricas. Foram 50 mil MWm.
  • As usinas de energia eólica e solar, por sua vez, geraram juntas1 3 mil MWm, um salto expressivo de 23,8% se comparado ao ano anterior.
  • Já a geração de energia a partir da biomassa (a partir do bagaço da cana-de-açúcar, por exemplo) foi de 3,2 MWm, um crescimento de 9,6% em relação a 2022.
  • A geração distribuída — quando consumidores produzem energia a partir de placas solares —, também cresceu 63,9%.
  • A abertura do mercado livre de energia deve impulsionar ainda mais a demanda por energias renováveis, disse em nota o presidente do Conselho de Administração da CCEE, Alexandre Ramos.

Segundo o CCEE, um dos fatores que explica o resultado positivo foi o “cenário climatológico favorável, em especial para a produção de energia solar”. Além disso, a entrada de novas usinas no Sistema Interligado Nacional aumentaram a capacidade instalada no Brasil em 42,6 mil MW, acrescenta a entidade.

Gasto aumentou

Segundo o CCEE, também houve um salto de 3,7% no consumo de energia no Brasil, um dos maiores dos últimos anos no país. O principal culpado foram as ondas de calor.

Leia mais:

publicidade

Energia limpa deve impulsionar geração de empregos em 2024

A tendência para 2024 é que a área de energia limpa gere mais empregos e movimente e economia. É o que aponta um relatório do grupo industrial E2. As contratações no setor de energia verde cresceram em 10% nos últimos dois anos e a projeção é que continuem assim.

Saiba mais no artigo completo.